24 horas em Roma

2 Flares Twitter 0 Facebook 2 Google+ 0 Pin It Share 0 2 Flares ×
Parte das ruínas do gigante Fóro Romano, vistas do lado de fora

 Nessa viagem com amigos à Itália durante o feriadão de novembro último, como eu resolvi escapar com outra amiga para Úmbria bem no meio da nossa estadia Romana e como também tinhamos planejado passar um dia todinho em Pompéia, tive 3 noites na cidade (mais um final de tarde na chegada e uma manhã na partida), mas só um dia inteirinho em Roma.
Aproveitamos o dia inteirinho que estavamos os cinco juntos na cidade para rever/revisitar o que mais gostamos de Roma. Como já tinhamos estado ali outras vezes, naquele dia não fizemos visitas; ou seja, não ENTRAMOS de verdade em nenhuma atração tipo museu ou Coliseu. Mas o roteirinho que fizemos é uma bela alternativa para quem tem um dia só na cidade por questões de conexão e voos e quer um delicioso tira-gostos das belezas de Roma. Já tinha feito em 2009 quando fiz esse teaser de Roma para minha irmã e funcionou bem das duas vezes. É assim:

Turistas e gladiadores estão por toda parte 😉

 – Coliseu:
estava do ladinho do nosso hotel em Monti, então foi fácil. Logo de manhã (sair às 10h é bom; se for inverno, como escurece cedinho, sair às 9 é melhor), caminhar cinco minutinhos até lá, tirar foto e coisa e tal. Para quem está mais longe, tem uma estação de metrô (Colosseo) literalmente em frente ao monumento, impossível se perder. Entrar ali vale a pena, e muito; mas, como a fila costuma ser longa e demorada (exceto para quem usa o RomaPass que, como bem lembrou a Lena nos comentários, vale só por tirar o povo da fila gigante do Coliseu – mas, na minha opinião, só pra quem fica 3 dias consecutivos na cidade), só recomendo para quem tem mais dias para curtir a cidade.

– Fóro Romano:
fica praticamente ao lado do Coliseu, logo depois do Arco de Constantino. É minha “atração” favorita de Roma, emocionante; mas é imenso e, para visita-lo, a gente precisa de, no mínimo, meio dia. Quem tem pressa pode caminhar pela avenida do Coliseu até o Monumento Vittorio Emanuele (Via dei Fori Imperiali) que, do lado de fora mesmo, e grátis, já dá pra ver uma parte das preciosidades que o sitio arqueológico guarda.

Atente para o guarda de trânsito i-gual-zi-nho ao do “Para Roma com amor” no canto direito da foto

 – Vittorio Emanuele: o monumento romano mais odiado pelos próprios romanos até que rende umas fotinhos boas, seja dia ou noite. E já que está mesmo no caminho… 😉

 – Fontana di Trevi: pela Via del Corso, que praticamente “sai” de frente para o Vittorio Emanuele, fizemos um desvio à direita para ver a icônica (e, na minha opinião, scusame por ser tão óbvia, sempre imperdível) e mais famosa fonte da cidade. Jogar a moedinha é essencial para garantir a volta (tem dado certo comigo desde 2001 :D).

Ei, siga aquele gladiador! 😛

 – Pantheon: se atravessarmos para o lado esquerdo da Via del Corso, em cinco minutinhos depois dela estamos cara a cara com o Pantheon, impressionante. Ali vale a pena entrar: é gratuito e ver seu interior, mesmo que não seja pela primeira vez, é sempre extasiante.

 – Piazza Navona: seguindo as plaquinhas (são várias), a gente chega àquela que é para mim, a praça mais linda da cidade (e olha que eu amo praticamente todas as praças de Roma, da Barberini a del Popolo). Mas a Navona é boa para gastar um bom tempo: caminhar por entre os incontáveis caricaturistas e retratistas, depois sentar junto às fontes para observar romanos e turistas, olhar os lindos prédios ao redor (e não apenas a Embaixada Brasileira) etc.

 – Castelo di Sant´Angelo: da Piazza Navona, é só seguir em direção ao rio. São poucos minutos de uma agradabilissima caminhada, por entre igrejas e ruelas tipicamente romanas e, voilà!, já estamos em plena Ponte di Sant´Angelo que, além de linda, tem uma vista linda de morrer para o castelo – se vc ainda não almoçou, ali é um belo lugar para um picnic :)))))

 – Vaticano: do Castelo à Piazza San Pietro, já no Vaticano, é um pulo – primeiro, caminhando às margens do Tèvere, depois pela própria Via di Conciliazione. Se a fila estiver curtinha, eis outro lugar onde vale a pena entrar também, e também é gratuito. No final da tarde, é ainda mais bonito.

 O que não fizemos em novembro (porque gastamos mais tempo fofocando que qualquer coisa 😛 ) mas fiz com minha irmã em 2009 e dá super tempo nesse roteirinho 24h:
– Piazza di Spagna: bom para ir de manhã também, depois da Fontana di Trevi. Um rolê pela praça, subir a escadaria e, de quebra, tomar um belo capuccino também no balcão do icônico e adorável Caffè Grecco.

– Trastevere: se der para escapar na hora do almoço, simplesmente perfeito, já que é o bairro gastronômico romano por excelência. Dá para almoçar e fazer a digestão caminhando por entre as ruas e igrejas do bairro – ver noivas ali é uma constante, acredite. Se não, a caminhada no finalzinho da tarde, com as luzes se acendendo pelo bairro, também é deliciosa.

Como terminar o dia? Volte (nós voltamos a pé, mas se você estiver muito cansado tome o metrô) até o bairro onde esse tour começou, Monti, e faça um jantar barato e extremamente italiano numa das mais autênticas cantinas em que já comi: a adorável La Vacca ´mbriaca (Via Urbana). Comida de primeira, preços baixissimos, lugar super acolhedor e serviço maxi simpático que eu amei – a flor de abobrinha frita é simplesmente imperdível, para dizer o mínimo (grazie mille pela indicação, Bruno Agostini!)

Quem tiver menos tempo ainda (!), pode entrar no walking tour gratuito que sai todos os dias da Piazza di Spagna às 17h30 e percorre numa caminhada guiada de duas horas (!!!!) alguns dos principais pontos turísticos da cidade.

É claro que Roma é maravilhosa e merece ser explorada com calma, no melhor estilo slow travel, ao longo de dias, visitando todas as praças e entrando em todas as atrações e (excelentes) museus, saboreando cada minuto nessa cidade literalmente divina. Mas, para casos extremos, soluções extremas, não é mesmo? 🙂  Quando a gente não tem tempo, é roteirinho bom para matar as saudades (se a gente não foi) ou para fazer a gente colocar a cidade num plano de viagem futuro como se deve (quando ainda não conhece).

Se o dia estiver bonito, dá pra fazer tudinho caminhando, tomando metrô ou táxi só para chegar ao Coliseu de manhã cedo e para voltar para o hotel à noite, parando para um café, um almoço express e um sorvete ao longo do dia 🙂

Fala sério: eterna é pouco para descrever essa cidade, não?

Como ir do aeroporto ao centro de Roma baratinho você encontra aqui.

2 Flares Twitter 0 Facebook 2 Google+ 0 Pin It Share 0 2 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.