Abbot Kinney

29 Flares Twitter 8 Facebook 15 Google+ 6 Pin It Share 0 29 Flares ×

Abbot Kinney O melhor da região que foi considerada “o pedaço mais cool dos EUA” pela GQ

 

 

 

Falei de Abbot Kinney rapidinho no post sobre meu programa de uma semana em Los Angeles em junho passado. Mas eu gostei tanto, tanto, tanto desse pedacinho da cidade, e ele anda tão trendy em tudo quanto é publicação internacional atualmente, que achei que valia reforçar a ideia aqui.

Abbot Kinney

Cafés fofos no quintal das lojas e galerias: marca registrada da área

Cafés fofos no quintal das lojas e galerias: marca registrada da área

Abbot Kinney fica em Venice, um dos distritos badaladinhos de Los Angeles, pertinho da fofa Santa Monica. Foi rebatizada assim nos anos 90  (antes era West Washington) em homenagem ao homem que construiu os canais de Venice – e desde então não parou de crescer. Agora, atraiu os holofotes do mundo todo por prestigiar 100% o comércio local (ali não entram big brands, só negócios pequenos locais) com um cara muito, muito hipster.

Abbot KinneyAbbot Kinney

Acho que poucos lugares no planeta têm uma concentração tão grande de “negócios” um ao lado do outro como Abbot Kinney. Ateliês de estilistas, lojinhas de roupas e acessórios cheias de bossa, boutiques vintage, antiquários, lojas de móveis e design, galerias de arte, wine shops, restaurantes, cafés e, é claro, vida noturna – tem tudo e mais um pouco ali, em sequência. Algumas das lojas estão instaladas em adoráveis bangalôs do começo do século XX – o que deixa o simples prazer do “window shopping” ainda mais gostoso.

Abbot KinneyWP_20140529_09_31_38_Pro WP_20140529_09_06_50_Pro WP_20140529_10_03_30_Pro__highres WP_20140529_10_50_25_Pro

Há arte nas ruas (nas paredes, nas calçadas) e sua marca registrada são os cafés escondidinhos: em muitas lojas e casas você vê um corredorzinho lateral discreto e low profile que, se seguir até o final, vai encontrar um café todo badaladinho “nos fundos”. Um café mais legal que o outro, cheio de gente trabalhando no seu próprio computador, lendo um livro, tendo reuniões de negócios (sim!) ou simplesmente batendo papo.

Abbot KinneyAbbot KinneyAbbot KinneyAbbot Kinney

Vale espiar as bikes da Linus (algumas vintage adoráveis, inclusive), os objetos para casa da A+R, os óculos e armações geniais da A. Kinney Court, as roupas e acessórios da Guild (de estilistas diferentões como Ann Demeulemeester, Rick Owens ou Mihara Yasuhiro), as camisetas da Alternative Apparel, as lindezas da Urbanic Paper Boutique para loucos por papelarias e afins, peças super fashionistas da Satine, acessórios da Mona Moore e da Heist, jeans e antiguidades da Bazar, nos móveis e objetos de decoração da Huset. Só pra começar.

Abbot KinneyAbbot Kinney

Abbot KinneyAbbot KinneyAbbot KinneyAbbot Kinney

Embora Abbot Kinney seja pequenininha – são apenas alguns quarteirões -não vá correndo, não. O ideal é ir na parte da tarde, quando todas as lojas, cafés e restaurantes estão a pleno vapor, e curtir horas fuçando as lojinhas, parando para cafés e comidinhas (o Inteligentsia é um must) e praticando people watching. Programão, mesmo para os não consumistas.

Abbot KinneyAbbot KinneyAbbot KinneyAbbot KinneyAbbot Kinney

De carro, de Downtown LA é fácil chegar pela I-10W e 405S em direção ao aeroporto e Long Beach. De ônibus, dá pra ir do Civic Center em Downtown com o Metro Rapid Line 733 (Santa Monica) a Venice (Abbot Kinney Memorial), parada Branch Library  (na esquina Abbot Kinney & Venice Blvd). De metrô é mais complicado: mas  dá pra usar as redes  Purple ou Red até a estação 7th St, transferir para a Expo Line até Culver City e de lá tomar um ônibus ou táxi.

29 Flares Twitter 8 Facebook 15 Google+ 6 Pin It Share 0 29 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.