Arte de rua em Toronto

2 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 Pin It Share 1 2 Flares ×

Além dos incríveis bairros étnicos, museus, parques e restaurantes, Toronto é também uma das cidades mais gostosas do planeta para fãs de street art

 

 

 

 

 

Tem cidades que vão deixando suas paredes mais cinzas. Mas, por outro lado, tem cidades que valorizam cada vez mais o colorido exacerbado dos grafites e murais espalhados por suas ruas – e a canadense Toronto é, sem dúvidas, uma das cidades mais incríveis para fãs de arte de rua.

Com menos de 3 milhões de habitantes, Toronto é uma das maiores cidades da América do Norte mas ainda conserva um ambiente muito diferente de outras grandes cidades. Apesar dos arranha-céus e grandes centros de negócios, a cidade parece uma imensa colcha de retalhos em que cada bairro tem personalidade ao mesmo tempo tão individual e tão harmoniosamente em sintonia com o todo. Os incríveis museus, louváveis projetos de urbanismo que transformaram antigas zonas industriais e uma cena gastronômica cada vez mais sedutora são apenas alguns dos muitos atributos desta cidade (veja mais no site oficial do turismo de Toronto).

Nos últimos anos, Toronto viveu também um boom de espaços com grafites e instalações de arte contemporânea à disposição dos olhos do turista, muitas vezes a uma caminhada de Downtown Toronto. (curiosamente, não existe oficialmente uma autorização para os grafites nos muros da cidade).  O local mais famoso, é claro, é a chamada “Graffiti Alley”, o beco do grafite, que, tomado por grafites literalmente do chão ao telhado das casas da Spadine Ave à Portland St.

Eu já tinha visitado o Graffiti Alley (também conhecido como Rush Lane ou Rick Mercer´s Alley, em homenagem a seu criador) em duas visitas anteriores à cidade mas aproveitei a última visita para fazer um walking tour justamente focado em arte de rua. À convite do Turismo de Toronto, entrei num dos tours da empresa Tour Guys, de Jason Kucherawy, um apaixonado por grafites e afins. “Uma cidade sem classe criativa é uma cidade morta”, filosofa Kucherawy. Os tours guiados têm preços desde CAD 30 por pessoa e no site da empresa há sugestões de walking tours gratuitos também.

A abundância de locais dedicados à arte de rua em Toronto impressiona também pela qualidade dos artistas nacionais e estrangeiros que deixaram ali a sua marca, muitas vezes como parte das atividades do StreetARToronto (StART), um programa municipal que justamente trabalha para apoiar, desenvolver, aumentar e promover a consciência de que a arte de rua representa um papel importante na cena cultural da cidade.

Mas há inúmeros outros lugares na cidade para apreciar a boa e velha arte de rua, como o quarteirão do Kensington Market, a Ossington Laneway (entre a Queen e a Humbert st), o Keele-Dundas Wall (entre a Dundas West Station e a Keele Station) ou até mesmo no Ocho Hotel, que chegou a incluir trabalhos de Banksy (que, infelizmente, hoje só podem ser vistos em fotografias no interior do hotel).

Muitos desses espaçostornaram-se verdadeira febre em fotos de redes sociais como o Instagram, como o mural “This is Paradise” (numa travessa da Queen St), o “You´ve changed” (quase na Queen com a Dovercourt Rd), a colorida Kate Moss (perto da Portland Variety), o incrível Prince (perto do Harlem Restaurant), o Batman (perto do Graffiti Alley) e outras belezas nas paredes.

 

Clique aqui para:

Ler mais sobre Toronto

Ler mais sobre outros destinos no Canadá

 

2 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 Pin It Share 1 2 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.