As Highlands rock

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

 Dos cenários das disputas (reais e sangrentas) de William Wallace aos das lutas (fakes e divertidíssimas) de Monty Phyton, as Highlands escocesas têm de tudo um pouco. Nada ali é tão perto como parece – o limite de velocidade nas estradas é baixo, algumas são cheias de curvas sinuosas e 11 milhas podem bem virar 30 ou 40 minutos (vou falar disso mais tarde).

 Em compensação, dirigir ali é uma beleza – as paisagens são deslumbrantes e não, não rola um pedágio sequer, uma maravilha. O próprio trajeto Edimburgo -Inverness é LINDO de morrer – sobretudo se vc for pela looooooonga rota da A82 (só de estrada dá umas seis horas, fora as paradas; tem que ter paciência) – e vale muito a pena (tem outra rota rápida, e menos bonita, em 3 horas e meia, que a mesma rota e duração das viagens em trem entre as duas cidades).

 Um sem fim de castelos (vários ainda habitados), um complexo bacanérrimo de lagos (incluindo, é claro, o mítico Loch Ness que até hoje movimenta horrores a economia local e nacional), eclusas, destilarias de uísque mil, montanhas lindas, casinhas de pedra enfileiradas, uma graça. Já me arrependi de ter ficado tão pouco na região (depois desses 3 dias nas Highlands, deu vontade de ir pras ilhas, fazer a trail pro oeste e várias outras coisas que parecem super legais). Foi muito, muito bom.

E achei Inverness mesmo uma boa base – curti muito mais os arredores que a cidade em si, mas achei mesmo funcionalíssima e excelente como local para hospedagem, saídas, chegadas etc. Funciona muito.
Tem milhões de coisas pra contar em detalhes, dos passeios às refeições; tô de volta a Edimburgo (cheguei agora à noite) e logo mais ainda tem Londres na história. Quem puder, continue acompanhando as (várias) atualizações diárias no Instagram e também no twitter.

Como diriam os escoceses (e também os irlandeses, btw), this is real craic :-)))

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.