Beaujolais

100 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 100 100 Flares ×

BeaujolaisDicas para curtir esta adorável terra de vinhos francesa

 

 

 

Antes de voltar a Lyon depois dos dias lindos em Courchevel em março passado, fizemos um breve desvio pela linda região do Beaujolais (distante de Lyon meros 45 minutos em carro), terra francesa produtora de vinhos desde o tempo dos romanos. São nada menos que 55km de vinhedos cultivados nas montanhas entre Lyon e o Mâcon, com a uva gamay (gamay noir à jus blanc) como destaqueBeaujolais

O Beaujolais é hoje uma das regiões mais importantes na produção de vinhos da França e foi uma das primeiras a ter um AOC (ainda na década de 30!), contando hoje com quase 200 vinícolas em seu território. Bucolicamente, seus vinhedos ficam esparramados nas montanhas (com altitudes entre 300 e 1000 metros), numa sequência adorável de vinícolas que formam a chamada Rota do Vinho.

Beaujolais

É verdade que o  “Beaujolais Nouveau”, o tipo exportação mais comum da produção local, ficou mezzo conhecido internacionalmente (inclusive no Brasil) como sinônimo de vinhos ruins e sem graça. Mas visitando a região a gente descobre que nem todo nouveau é ruim e, mais importante ainda, que nem só de nouveau vive o Beaujolais. Ao norte da região ficam espalhados os crus,  como são chamados os vinhos premium, cada um deles batizado de acordo com o nome de seu vilarejo original – e há excelentes produtos por ali.

Beaujolais

Vale saber: os vinhos do Beaujolais estão mudando, para muito melhor, em grande parte por mérito da nova geração de entusiasmados produtores e seus cultivos orgânicos, como na Domaine des Vignes du Paradis, na Domaine Richard Rottiers ou na Domaine de la Bonne Tonne.

Beaujolais

A maioria das vinícolas está aberta para visitação e é programão visita-las; mas mesmo quem não é tão chegado à coisa se encanta pelos vilarejos cheios de charme, os bistrôs-delícia (nos quais é praticamente mandatório para os não veganos provar os ultra típicos e fartos “saucissons beuajolais” cozidos lentamente no vinho tinto) , a rota cênica em direção ao monte Brouilly, as hospedagens em antigos castelos (como o Chateau de Bagnols, onde fiquei, um castelo medieval perfeitamente preservado e transformado em hotel com chancela Relais&Chateaux) e até restaurantes estrelados no guia Michelin.

Beaujolais

A capital regional Villefranche-sur-Saône mas meu vilarejo preferido foi a minúscula Oingt, uma antiga vila e fortaleza medieval com construções impecáveis de cor ocre, distribuídas em ruelas sinuosas de pedra. Quase deserta e com mirantes espetaculares para as montanhas e vinhedos, é mesmo um programão fazer uma paradinha por lá.

Beaujolais

Diversas agências locais fazem tours de um dia à região a partir de Lyon, incluindo visitas às vinícolas e degustações. Mas acho que vale fazer um desvio maior e dormir pelo menos uma noite num dos hotéis-patrimônio da região.

 

100 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 100 100 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.