Casa Cruz: eu fui e me apaixonei

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Na última viagem a Buenos Aires, eu TINHA que provar o Casa Cruz. Palermo já é há tempos meu cantinho predileto na cidade e o restaurante mais hypado da cidade era uma lacuna e tanto nas minhas experiências gastronômicas portenhas. Aberto em dezembro de 2004, o restaurante de Juan Santa Cruz é hoje, definitivamente, um dos melhores e mais exclusivos restaurantes de Buenos Aires. Suas enormes portas douradas de aço escovado chamam a atenção de qualquer um que passe pela rua Uriarte. Eu me apaixonei pelo local antes mesmo de cruzá-las – e olha que ao entrar no lounge do restaurante você tem a sensação de entrar num daqueles exclusivíssimos clubs novaiorquinos, com toques marcantes de bordô, bar suspenso e uma imensa quantidade de flores entre pufes e chaises baixíssimos.
Ao provar o menu enxuto de Germán Martitegui, fui cativada definitivamente. Espuma de batatas para limpar o paladar antes da refeição, creme brulée de fois com brioche e molho de maracujá, lagostins com ovas de tapioca, peras e batatas, polvo assado com purê de maracujá, azeite de chorizo e crocante, coelho com macarrão fideo, alho poró e molho de azeitonas pretas…
O sommelier – que circula pela casa com tênis all star, assim como quase todos os muito jovens e descoladíssimos garçons andrógenos do Casa Cruz – sugeriu um belo e fortíssimo Malbec argentino.
E, quando achávamos que nada mais poderia nos surpreender – sem falar da impagável cava e do intrigante banheiro rosado misto, a carta de sobremesas nos OBRIGOU a pedir um Fondant de Chocolate , doce de leite, chocolate branco e iogurte com sorvete de baunilha e uma levíssima e refrescante sopa de tapioca de coco com frutas vermelhas, geléia de manjericão e sorvete de maracujá.

Não vejo a hora de voltar…
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.