Chiang Mai, Tailândia

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Chiang Mai é a segunda maior cidade da Tailândia e o terceiro destino turístico do país, atrás somente de Bangcoc e Phuket. Conserva até hoje parte da muralha e do fosso que circundavam a cidade (um dos melhores lugares para vê-la é no Thaphae Gate, bem no centro da cidade) e alguns dos mais bonitos templos do país, como o imponente Doi Suthep. Passeios de elefante e o maior bazar noturno do país também são sua marca registrada. Pequena, é fácil de circular e oferece boas opções em restaurantes, hospedagem e entretenimento, com preços bem mais baixos que na capital ou na região sul do país.
O Doi Suthep é o principal templo de Chiang Mai e fica no alto de uma colina, a 12km do centro da cidade. Seu imponente pagode central, o Stup Pagoda, tem 24 metros de altura e 12 de largura e é revestido de ouro. As paredes são pintadas com murais sobre a vida de Buda. Você pode subir a pé, em 306 degraus, ou num simpático funicular.
Os grandes acamapamentos, como o Maesa, oferecem shows diários com elefantes que dançam, jogam futebol e pintam arte moderna e abstrata. Os passeios em cadeirinhas duplas no lombo dos animais duram 30 ou 60 minutos e são divertidos.
A grande diversão noturna está no Night Bazaar e na região conhecida como “square”, que concentra a maioria dos barzinhos e restaurantes. Você também pode optar por um jantar típico da tribo Kantoke, com os convidados sentados em almofadas no chão e uma seqüência de danças de uma das tribos mais antigas da Tailândia, famosa por suas mulheres de longos dedos.
De Chiang Mai partem excursões para visitar a tribo Padaung, no extremo norte do país, conhecida como a tribo das mulheres-girafa. O passeio é bastante interessante, já que é possível entrar na reserva e conhecer de perto suas casas, cozinhas e trabalhos do dia-a-dia. Mas a viagem é longa: são três horas de viagem para ir e três horas para voltar.

Translated by Google
Chiang Mai is the second bigger city of Thailand and the third tourist destination of the country, behind only of Bangcoc and Phuket. Conserve until today part of the wall and the irrigation ditch that surrounded the city (one of the best places to see it is in the Thaphae Gate, good in the center of the city) and some of the prettiest temples of the country, as the imponent Doi Suthep. Strolls of elephant and the biggest nocturnal bazaar of the country also are its registered mark. Small, it is easy of circulating and it offers good options in restaurants, lodging and entertainment, with prices well lower than in the capital or the south region of the country. The Doi Suthep is the main temple of Chiang Mai and is in the high one of a hill, 12km downtown. Its imponent pagode central, the Stup Pagoda, has 24 meters of height and 12 of width and is coated with gold. The walls are painted with wall on the life of Buddha. You can go up the foot, in 306 steps, or a likeable one funicular. The great acamapamentos, as the Maesa, offers shows daily with elephants that dance, plays soccer and paints modern and abstract art. The double strolls in cadeirinhas in lombo of the animals last 30 or 60 minutes and are amused. The great nocturnal diversion is in the Night Bazaar and the known region as “square”, that it concentrates the majority of the small bars and restaurants. You also can opt to one supper typical of the Kantoke tribe, with the guests seated in cushions in the soil and a sequence of dances of one of the tribes oldest of Thailand, celebrity for its women of long fingers. Of Chiang Mai they break excursions to visit the Padaung tribe, in the extremity north of the country, known as the tribe of the woman-giraffe. The stroll is sufficiently interesting, since it is possible to enter in the reserve and to know of close its houses, kitchens and works it day-by-day. But the trip is long: they are three hours of trip to go and three hours to come back.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.