Como ir de Milão ao Lago di Como

3 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 Pin It Share 2 3 Flares ×

O passo-a-passo para um bate-e-volta perfeitinho de Milão ao lago di Como

 

 

 

 

São meros 50 quilômetros que separam a adorável cidade italiana de Como do agito frenético de Milão. Por isso mesmo, o passeio de um dia ao lago di Como é dos bate-e-voltas mais queridinhos dos turistas brasileiros na cidade.

Os trens para Como saem da estação Milão Cadorna, bem no centro de Milão, e não levam nem uma hora no trajeto – e custam menos de dez euros ida e volta. De carro, também é muito fácil o trajeto, bastando sair de Milão pela A-9 – mas o trem é tão prático e conveniente que muita gente, mesmo quando vai fazer pernoite em Como, acaba optando por ele. Os trens chegam diariamente a Como Nord (e a maioria tem a cidade como destino final mesmo) e a estação fica já literalmente de cara para o lago. E aqui vale uma dica que já dei antes: tentem escolher, focando na previsão do tempo, um dia bonito para visitarem o lago, se puderem; a existência de sol interfere bastante na beleza da cor do lago.

Com um curioso formato semelhante a um Y, chega a ter mais de 45 quilômetros em sua parte mais extensa e a profundidade pode ultrapassar os 400m em alguns trechos. Como é a cidade mais famosa à beira do lago, mas há inúmeros vilarejos cheios de charme que o rodeiam (com opções de hospedagem que vão de b&bs a hotéis de altíssimo luxo, como o novíssimo Il Sereno, o último a abrir as portas por lá, no ano passado).

Como é também destino onde muitas celebridades hollywoodianas e do showbizz têm casas de veraneio – a mais famosa delas, é claro, é George Clooney, que colocou o lago definitivamente no mapa de quem ainda não o conhecia há alguns anos.

Igualzinho no post que fiz sobre o bate-e-volta de Milão ao Lago Maggiore, sugiro começar a visita de Como vendo o lago lá do alto: saindo da estação de trens, é só margear o lago andando para a direita que em poucos passos se chega à base do funicular Como-Brunate (5,30 euros por pessoa). O bondinho do final do século XIX leva apenas sete minutinhos até o fofo vilarejo de Brunate, no topo da montanha – e a vista lá do alto do imenso Como emoldurado pelos Alpes é mesmo matadora.

Depois de se embasbacar com tanta beleza, sete minutinhos para descer e bastam outros cinco caminhando à esquerda pela margem do lago para chegar ao quiosque de vendas dos tickets de barco. Durante os meses de primavera e verão, ali se vendem diferentes passeios de barco, desde os circulares pelo lago (9 euros) ao que leva diretamente a Bellagio (20 euros). Há também ótimas opções de fretamento de lanchas e barcos menores, para quem estiver em família ou num grupo de amigos.

O passeio circular faz um giro entre os vilarejos mais próximos à cidade de Como, com duração total de pouco mais de uma hora para a volta completa. Mas é permito escolher uma das paradas para descer e retornar com o mesmo ticket até o final do mesmo dia, o que eu recomendo muito. Se puder, escolha um dos vilarejos mais encantadores, como Tremezzo e Cernobbio.

Mas são muitos turistas que preferem comprar o barco que vai diretamente a Bellagio, o vilarejo mais famoso do lago (distante cerca de 30km da cidade de Como), vira e mexe chamado de “a pérola do lago de Como”  – e que inspirou o coloridíssimo hotel homônimo de Las Vegas. Sua peculiar arquitetura de casinhas coloridas é mesmo cativante, entre ruelas cheias de lojinhas, cafés e restaurantes – além dos parques de esculturas e jardins com vista para o lago.

(Mas importante: se você dispensa como e quer ir especificamente direto de Milão a Bellagio, no Viaje na Viagem e no Aprendiz de Viajante há posts ótimos dando tintim por tintim o caminho das pedras para tal)

Depois de curtir o lago (incluindo a bela área arborizada às suas margens), vale muito a pena aproveitar o centrinho de Como antes de pegar o trem de volta. Como tem ali no centrinho ruelas estreitas de pedra fechadas para pedestres, perfeitas para curtir suas feiras de rua, charmosos cafés, lojas que vendem peças em seda produzidas localmente e a belíssima Catedral – o Duomo di Como – construída no século XI.  A enorme Piazza Cavour é o coração da parte turística de Como, com vista para o lago e inúmeros cafés e restaurantes de hotéis com suas mesinhas espalhadas pelo calçadão (embora eu recomende fortemente afastar-se da praça por quatro quadras e almoçar no delicioso Café dei Viaggiatore).

 

Para quem resolver pernoitar no lago, são ótimas sugestões os hotéis Borgo Antico, La Perla e Il Sereno.

 

 

Clique aqui para:

Ler mais sobre Milão

Ler mais sobre destinos na Itália

 

Search Hotels

Destination
Check-in date
Check-out date
3 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 Pin It Share 2 3 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.