Caça às trufas na Toscana

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×
Um melhor que o outro: #morri

Já contei aqui pra vocês que eu sou louca por trufas. Pelos dois tipos: as delícias à base de chocolate e às maravilhosas e incomparáveis trufas italianas (il tartufo!), sobretudo espalhadas por cima de uma bela massa fresca (nham!). E estar na Toscana em plena temporada de trufas e não testar nem um pouquinho um dos mais famosos “esportes” regionais – a caça às trufas (truffle hunting, como dizem os gringos) – seria mesmo uma pena.

O Giotto ganha mini biscoitinhos para ter energia para a tarefa

A experiência aconteceu no Savini Tartufi, em Forcoli, uma das famílias “produtoras” de trufas e produtos à basa da iguaria mais conhecidas na região, que me convidou para participar de uma “caça”. Para participar, só com hora marcada previamente – a caça vale desde 35 euros, dependendo do número de participantes e duração.

Bora pra mata

Nosso grupo caminhou bosque adentro, na “fazenda” de propriedade deles, em companhia do fofo cãozinho Giotto. Ali, os cães são treinados ainda pequenininhos, por seis meses consecutivos, para ficarem experts em encontrar a iguaria. O Giotto ia farejando tudo e, quando encontrava alguma coisinha, cavava, cavava, cavava com as patinhas mínúsculas até que um dos dois “caçadores” oficiais da casa ajudasse com instrumentos próprios.

Um dos “caçadores” chama para irmos rapidinho ver o que Giotto descobriu
Ele cava, cava, cava…
… e, quando acha, o caçador ajuda com essa ferramenta…
… e ele fica todo pimpão com a descoberta

A verdade é que não achamos muita coisa; encontramos muito mais mosquitos que trufas no nosso caminho 😛 Mas é interessante acompanhar todo o processo, ainda tão intuitivo, e, sobretudo, notar como, onde havia trufas, o odor da terra fica mesmo muito diferente. E, no fundo, é divertido saracotear no bosque atrás de um temperamental cãozinho.

Mais gostoso ainda foi voltar à sede da empresa, pós caça (ficamos pouco mais de uma hora no bosque) e provar, enfim, delícias preparadas com as trufas e servidas em forma de bruschetta. Ali na loja, entre os vários produtos vendidos por eles (o sal al tartufo e o azeite são di-vi-nos), também fica exposta uma réplica da maior trufa encontrada por eles, que, por sinal, ainda detém um recorde mundial pelo tamanho e pelo peso – impressionante.

A réplica da trufa gigantesca que deu recorde mundial à Savini…
… e uma verdadeira, mais modesta (como o fundo da mão), encontrada naquela manhã

Em tempo – algo que eu queria MUITOOOO que tivessem me avisado antes, deixo aqui registrado pra vocês: usem calças compridas e sapatos fechados, como tênis, mesmo no auge do verão toscano. E, se tiver à mão, dê uma boa baforada de repelente em você mesmo. A quantidade de mosquitos quando a gente entra no bosque fechado é impressionante e eles atacam mesmo as áreas expostas, sem dó nem piedade (tô cheia das marquinhas até hoje). 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.