Como tirar boas selfies em viagem

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Como tirar boas fotos de si mesmo ao viajar sozinho? #selfielikeapro!

 

 

 

 

Sempre amei fotos, desde pequenininha. Até hoje, tive uma quantidade impressionante de câmeras de todo tipo, de tanto que gosto destes apetrechos. Por outro lado, nunca fui muito de fotografar a mim mesma, nem em viagem – e menos ainda ao viajar sozinha (eu gosto mesmo é de fotografar paisagens, lugares e outras pessoas). Mas sempre gostei da ideia das selfies – com outras pessoas junto – desde muito antes de elas serem chamadas de selfies, muito antes da popularização das câmeras digitais ou sequer da existência dos smartphones.

Era tão desencanada com isso que às vezes voltava de um destino sem uma única foto minha lá e era uma baita dor de cabeça quando o editor me pedia foto minha in loco para colocar na seção “colaboradores” da revista. Então há uns anos comecei a tirar uma ou outra foto minha em viagem, mas sem muito entusiasmo, mais pra esses casos em que precisasse profissionalmente – ou pra tirar sarro de mim mesma no Facebook 😀

Sei que sou exceção, a diferentona – as pessoas em geral gostam de se ver nas fotos dos lugares onde estiveram, e muito. Com o uso em massa do instagram e de outras redes sociais, gostam cada vez mais de postar selfies de suas viagens. Não foi à toa que as selfies viraram até verbete de dicionário.

Mas no começo do ano passado, comecei a receber muitíssimos comentários e mensagens de leitores dizendo que das coisas que menos gostavam sobre viajar sozinho era não ter fotos boas de si mesmos viagem. “Acabo tendo somente minha cabeça diante das paisagens, nas selfies que tiro”, muita gente me dizia.

E daí surgiu a ideia de começar uma brincadeira no instagram: com a hashtag #selfielikeapro (que eu não inventei, não, já existia), comecei a postar algumas fotos que eu tirava de mim mesma durante as viagens e que não tinham cara das selfies tradicionais, que podiam muito bem ser fotos tiradas por outras pessoas. A maioria era tirando sarro de mim mesma, só que aos poucos fui tomando gosto de verdade pela coisa. Muitos amigos e leitores que viajam sozinhos começaram a entrar na brincadeira, tirando fotos semelhantes em suas viagens, num passatempo bastante divertido de acompanhar pelas redes sociais.

Por outro lado, depois que comecei o #selfielikeapro, muitos leitores começaram a perguntar como consigo tirar essas selfies “sem cara de selfie”, enquadrar, colocar movimento, fazer parecer mais natural. No fundo, não tem segredo nenhum, é muito simples: como eu não posto no Instagram fotos tiradas com a minha DSLR, eu faço uso unicamente duas opções – o timer do meu celular ou o disparador em sequência da minha GoPro (aquela Sessions, a menorzinha e mais barata de todas). O único segredo é tomar coragem e perder a vergonha na cara na hora da foto :))))

 

Disparo no timer do celular

O timer do celular eu uso para fotos bem pontuais ou, na maioria das vezes, quando estou com muita pressa. Dá super certo e levo meros segundos para tirar:

escolher um lugar para apoiar o celular => apertar o timer => dar uma corridinha ao lugar pensado => fazer a pose => voltar ao celular para apanha-lo

Outra opção é comprar um kit de tripé com controle remoto e “clicar” para as fotos no próprio controle, sem precisar ligar timer nem “dar essa corridinha” – é o recurso que a maioria dos instagrammers e bloggers de viagem usa atualmente.  Há diversos modelos em oferta não apenas em lojas de eletrônicos como em vários sites na internet – e é uma ótima ideia para os solo travelers que só usam o próprio celular para fotografar nas viagens terem fotos de si mesmos mais naturais e menos óbvias.

 

Fotos em sequência com disparador automático

Mas como eu não gosto de carregar tripés (ando sempre já com bastante peso por causa da câmera DSLR e das lentes extras que uso para as fotos de trabalho) e gosto muuuuuito de fotos com movimento, eu uso bastante para as fotinhos do #selfielikeapro o disparador de fotos em sequência (tipo time lapse) da GoPro (um recurso que existe também na maioria das câmeras, inclusive compactas, e em boa parte dos celulares hoje em dia). O que eu gosto da GoPro é o fato dela ser pequeninha, à prova d´agua e vir com suportes que ajudam super na hora de apoiar a câmera em algum lugar. Assim eu consigo captar diversas fotos de uma ação X – caminhar, nadar, andar de bike, contemplar uma paisagem ou whatever -, sem pressa, sem estresse, e depois escolher a imagem que ficar mais natural.

apoiar e posicionar a câmera no lugar escolhido => ligar o disparador em sequência da câmera (eu geralmente aciono pela app no celular) => fazer o movimento ou ação pretendido (tipo ir caminhando pela praia, ida e volta) => desligar o disparador (na própria ou na app do celular)

O processo é rapidíssimo do mesmo jeito – nunca levei mais de um minuto entre começar e terminar a sequência (até porque 1) sou impaciente em geral na vida; 2) depois não tenho paciência de ficar olhando um monte de foto parecida :D). Durante toda a ação, as fotos são tiradas em sequência ininterrupta (eu escolho em geral uma foto batida a cada cinco segundos, mas você pode escolher intervalos diferentes), assim em pelo menos uma foto de todas elas a gente consegue movimentos mais naturais, mais espontâneos (que é o que eu gosto) e às vezes até acidentais 🙂

Para os dois casos, não recomendo nadica que se use essas técnicas em lugares com grandes aglomerações nem que você se afaste muito do celular/câmera, por questões de segurança mesmo. Eu só costumo usar em lugares com pouca gente, para ficar tranquila (e também porque até hoje sinto uma vergonhinha na hora destas selfies 😛 )

Como garantir que o enquadramento das selfies deste tipo fique perfeito? A gente tem que “treinar” antes, como se fosse tirar uma foto da paisagem, para ver exatamente o que quer captar daquilo e calcular em que lugar tem que deixar a câmera apoiada. É importante escolher o melhor recorte para aquela paisagem ou atração: por exemplo, se a foto tem a Torre Eiffel na paisagem, você não vai querer que ela saia pela metade, certo? O enquadramento perfeito a gente aprende treinando o olhar fotográfico (que a gente pode treinar não apenas fotografando, tentando, errando e aprendendo, como também seguindo bons fotógrafos mas redes sociais).

Quem dispara fotos através de aplicativos no celular (seja na GoPro ou em outras câmeras) consegue ter uma visão perfeitinha da imagem que está captando, o que é uma mão na roda – lembrando que só dá pra usar essas apps se a câmera em questão tiver wifi embutido.

Também é importante pensar na melhor luz para aquela circunstância – amanhecer e entardecer costumam ter as melhores oportunidades fotográficas. Mas mesmo que o dia esteja cinza a gente consegue fazer nossas selfies, é claro. Depois, você pode fazer as edições ou aplicar os filtros que quiser sobre elas antes de publicar (eu costumo mexer só no contraste, mas tem gente que adora branco estourado, ou maxi saturação, ou só curte preto e branco etc).  E tudo isso vai do gosto de cada um e não precisa seguir cartilha nenhuma de “feed perfeito” para se divertir com as suas selfies.  A bem da verdade, não precisa nem postar se não quiser, certo? 😉

Se dá errado usar essas técnicas às vezes? Ô se dá! Às vezes eu posiciono a câmera meio tortinha e não reparo. Outras vezes, principalmente quando tenho muita pressa, geralmente enquadro a cena errado e só vou ver depois, quando checar as imagens, que ficou mais chão do que devia e cortei minha cabeça (como na foto abaixo) #fail

Ou a rua estava vazia e passa carro/gente bem no momento da foto.  E várias outras coisas do gênero (isso porque não vou nem comentar o antes e depois das selfies de banheira :)))))))) )

De todos modos, a brincadeira segue firme lá no meu instagram @maricampos. Tem muita gente experimentando e gostando das fotos deste tipo que anda trazendo das viagens. Eu mesma, confesso, tenho achado bem divertido, enfim, tirar algumas fotinhos de mim mesma durante minhas andanças. A gente não precisa de nada especial, porque qualquer lugar pode servir para apoiar o celular ou a câmera, de uma cadeira a uma pedra (já usei muitas vezes ambas) – a gente só tem que garantir que o apetrecho fique seguro e estável.

Hoje em dia tenho tirado pelo menos uma selfie em todo destino que visito (e também nos quartos e banheiras mais legais de hotel 😀 ). Se você se empolgar para tirar também as suas selfies viajantes, aposto que vai virar habitué – tenho visto esse “fenômeno” acontecer com vários leitores e amigos 🙂  Ah! Quando postar, aproveita e usa a hashtag #selfielikeapro, porque essa turma de solo travelers adora ver fotinhos de outros solo travelers também 🙂

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.