Compras no exterior: você sempre pede o seu VAT/Tax Refund em suas viagens?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Eu não sou, salvo raras exceções, do tipo que se mata de fazer compras em viagem. Por isso mesmo, não sou uma grande expert em políticas de VAT/Tax Refund (a devolução em espécie ou crédito no cartão de crédito do percentual imposto pago nas mercadorias adquiridas que você pode solicitar em quase todos os países para os quais viaja) – vira e mexe tem leitor que me pergunta quanto tem que gastar no mínimo em tal país para ter direito (sim, você tem que ultrapassar um montante mínimo NUMA MESMA COMPRA para ter direito), e eu dificilmente sei. Mas, em quase todas as vezes em que gastei mais que o mínimo para solicitar – e isso inclui big compras de caixas de alfajores Havanna em Buenos Aires, #shameonme – , eu solicitei. Não era grande coisa, mas era uma graninha  que me alegrava quando vinha em crédito no cartão de crédito no mês seguinte :-))))
A Practical Traveler, do NYT, levantou uma questão interessantíssima na coluna dela dessa semana: vale mesmo a pena, em termos de tempo e transtornos, ir atrás o Tax Refund? Depois de ler tudo… eu confesso que não sei mais ao certo. Mas tendo muito a continuar achando interessante. Até porque nunca enfrentei grandes perrengues pra conseguir a restituição – bastava chegar mais cedo ao aeroporto, ficar um tempinho na fila e pronto. No big deal. E é dinheiro que volta pra nós, certo?
Então me fala: você acha válido? SEMPRE pede nas suas viagens? Tks a lot 😉

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.