Diário de bordo 2: no cruzeiro pelo Caribe

27 Flares Twitter 3 Facebook 24 Google+ 0 Pin It Share 0 27 Flares ×

St MarteenQuem me acompanha também via Instagram, twitter ou Facebook tem visto que, depois dos dias de passeios e comilanças em Miami eu embarquei num cruzeiro pelo Caribe a bordo do gigantão Oasis of the Seas à convite da Royal Caribbean.

Com as fotinhos da viagem que estou subindo diariamente nos canais de mídia social e o primeiro post sobre a viagem no domingo, começaram a aparecer mensagens e tuítes de leitores perguntando o que estou achando, se vale a pena cruzeiro pelo Caribe, para que tipo de passageiro vale, como são as escalas etc. Prometo fazer posts bem completinhos, tanto sobre o navio (que, nesse caso do Oasis, para a maioria dos passageiros à bordo, é a atração da viagem em si) como a experiência desse cruzeiro em si e cada uma das escalas quando a viagem terminar e eu puder dar uma opinião geral.

IMG_7346[1]

Mas aproveito para retificar algo que já repeti aqui várias vezes: acho o Caribe um ótimo destino para cruzeiros. Afinal, não é tão fácil assim se deslocar de maneira independente entre as ilhas caribenhas como é nos deslocarmos de um país para outro na Europa, certo? O navio resolve todo esse pepino de locomoção de uma vez. Também minimiza os perrengues de imigração: hoje desci na minha última escala, em St. Marteen (daqui pra frente teremos apenas alguns dias de pura navegação no Oasis), e posso dizer que, em nenhum dos portos de escala me pediram nem por um segundo meu passaporte – embarcamos e desembarcamos tranquilamente, sem filas de imigração ou check point de documentos em nenhum dos destinos envolvidos. E, por último, também serve como baliza para decidirmos que (ou quais) ilha(s) vale a pena voltar para conhecer bem, por vários dias, como se deve, em outra viagem (no meu caso, DEFINITIVAMENTE St Marteen e, muito provavelmente, St Thomas) e qual (quais) não.

Além de toda a história,arquitetura e diferença dos lados francês e holandês, St Marteen ainda tem esse mar <3

Além de toda a história,arquitetura e diferença dos lados francês e holandês, St Marteen ainda tem esse mar <3

Quanto ao navio, respondendo algumas das perguntas que mais me chegam: sim, é grandão mesmo; não, ainda não deu tempo de provar de todos os restaurantes; a cabine é bem espaçosa;  as bebidas são pagas à parte (há água filtrada, café, chás, iced tea, limonada e outras águas saborizadas gratuitas nas refeições); a vista para o Central Park é mil vezes melhor que uma cabine interna mas, na minha opinião, nem de longe supera a vista para o mar; e, sim, os shows até agora estão bacanas (adorei o Hairspray).

Oasis of the Seas

Updates continuam via redes sociais; posts “carnudos” sobre a viagem estão a caminho 😉

27 Flares Twitter 3 Facebook 24 Google+ 0 Pin It Share 0 27 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.