Eze: vale a pena subir o morro

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

 Enquanto rodávamos pela Moyenne Corniche, saídos de Nice e em direção a Menton, onde visitaríamos o Museu Cocteau (eu estava naquela excursão pela França da Biarritz, lembram?), fizemos uma parada mais que estratégica em Eze para o almoço.

 Eze é um vilarejo medieval erguido também no alto de uma colina, a mais de 400m acima do Mediterrâneo.   Ali, como no Saint Michel, os carros não entram; a gente estaciona na base da colina e sobe a pé pelas ruelinhas lindas-maravilhosas. 

 Bem menor, mas no mesmo estilo de Saint Paul de Vence: ruelinhas tortuosas, galerias de arte e lojinhas espalhadas, aquele jeitão de parada no tempo. E ainda com direito às ruínas de uma belíssima fortaleza no alto, de onde se vê – mesmo com o dia cinza e garoando – boa parte da riviera ao longe. Imagino que num dia de céu azul limpo seja um desbunde. 

É claro que a maioria do grupo optou por não almoçar e sim subir e descer zanzando por aquelas ruelinhas da cidade para conhece-la na hora e meia que tinhamos por ali. E foi suficiente, porque a cidade é pequenininha; aliás, tão pequenininha que você pode “se perder” N vezes entre escadarias, ladeiras e ruelas e vai se encontrar logo em seguida 😀  

 As casinhas de pura pedra se misturam à vegetação tropical que rodeia a colina. E a fortaleza lá do alto (a gente paga para entrar) inclui também um jardim apaixonante. Eze foi vítima de sucessivas ocupações, a começar pelos próprios romanos, é claro – e, muito tempo depois, Luis XIV se encarregou de destruir toda a muralha da cidade, humpf. 

Lindo passeio; e olha que estávamos debaixo de chuvisco. Paradinha perfeita para quem estiver viajando de carro pela riviera. 
(para os shopaholics: ali ainda tem uma loja da fábrica da Fragonard que é sensivelmente mais barata que as demais)

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.