Hotéis de luxo em Milão

2 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 Pin It Share 1 2 Flares ×

MilãoOs hotéis mais incríveis do “Quadrilátero do Ouro” na cidade

 

 

 

 

Da viagem à Itália no verão europeu passado já foram pras bancas os primeiros frilas, mas, oh yeah, os posts aqui estão atrasados que é uma beleza! #shameonme  Mas então comecemos com um filezão: os hotéis de luxo que eu visitei desta vez em Milão.

Milão, como já contei aqui, é um caso de amor à segunda vista na minha vida viajante. Demorei muito pra ir pela primeira vez, não gostei tanto (caí naquela bobagem de comparar com outros destinos italianos, tolinha!), mas, a partir da segunda visita, cada vez que vou gosto mais dessa cidade sempre tão vibrante, cosmopolita, ousada. Gosto da vibe das pessoas, dos cafés, dos restaurantes incríveis, dos museus. E gosto muito, muito mesmo, de alguns hotéis que acho que souberam captar muito bem essa alma milanesa de novo e antigo, clássico e cool, tudo sempre junto e misturado – e gosto de mais hotéis a cada vez que vou.

img_2701

Milão é cidade de inúmeras facetas, mas, sem dúvidas, a maioria das pessoas associa a cidade à moda e ao design. E o endereço mais famoso para os shopaholics é o Quadrilatero della Moda, delimitado pelas ruas Corso di Porta Venezia, Via Montenapoleone, Via della Spiga e Via Manzoni. Ali ficam unidades de algumas das mais famosas marcas do planeta, como Ferragamo, Armani, Chanel, Missoni, Prada, Versace e tantas outras (não à toa, a Via Montenapoleone é uma das ruas mais caras do mundo). Pois a região é também chamada de Quadrilátero do Ouro, já que ali também ficam alguns dos melhores e mais luxuosos hotéis de Milão, como o badalado Hotel Bulgari, o novíssimo Mandarin Oriental Milan e o icônico Four Seasons Milano.

Bulgari Milan

Eu já conhecia o hotel Bulgari de outras visitas, mas esta foi a primeira vez que me hospedei lá e pude entender como funciona o seu serviço para o hóspede. O hotel fica numa ruela discreta a duas quadras da Montenapoleone. O staff é bastante jovem e informal; a própria menina que fez meu check in me levou para o quarto e logo depois me levou uma taça de prosecco de boas vindas. O meu quarto, da categoria de entrada do hotel (Premium Room), tinha tamanho confortável, duas janelas com vista para o pátio e um belíssimo banheiro.

Bulgari Milan

O restaurante e o bar eu já tinha provado em outras viagens, então desta vez deixei de fora; mas pude ver que a happy hour continua animadíssima por lá – era auge do verão, começo de agosto, e o jardim ficou lotado após as 18h. O spa não usei porque estava sendo reformado. Mas uma das coisas que mais gostei desta vez foi como servem o café-da-manhã.

Bulgari Milan

Bulgari Milan

Primeiro, porque o café da manhã é servido a qualquer hora do dia – um verdadeiro luxo quando se está em férias, não? Se um hóspede cair na noitada e resolver acordar só as 3 da tarde, ele pode pedir o café às quatro sem o menor problema. Enquanto o hotel está em reformas, o café da manhã está incluído em todas as diárias. É servido no jardim, em sistema à la carte: você escolhe como quer seus ovos e o restante eles trazem tudo à sua mesa de uma vez: iogurte, cereais, frutas, pães, biscoitos, sucos, café. Gostei muito.

Mandarin Oriental Milan

Depois, me mudei para o vizinho Mandarin Oriental Milan, o mais novo hotel de luxo da cidade. Também localizado na mesma região – a uma quadra do Bulgari e a uma quadra da Montenapoleone – adorei como o designer Antonio Citterio soube dar a indefectível cara da rede Mandarin Oriental com design italiano a uma propriedade histórica de Milão. Perfeito para hóspedes que querem esse equilíbrio perfeitinho entre o local e o internacional, o novo e o antigo, o hype e o histórico.

Mandarin Oriental Milan

Mandarin Oriental MilanMandarin Oriental MilanMandarin Oriental MilanMandarin Oriental Milan

Por fora, o prédio do século XVIII que ocupa uma quadra inteira nem de longe revela os interiores de decor super contemporâneo, cheios de design e com toques asiáticos aqui e ali – as incríveis portas asiáticas nos quartos foram meu toque predileto. O meu quarto, também da categoria de entrada (Superior Room), era decorado com materiais naturais (como muita madeira e muito mármore) em linhas bem chic e contemporâneas e muito bem iluminado, com duas janelas-portas que iam do chão ao teto. A cozinha fica a cargo do chef Antonio Guida e é no ultra contemporâneo Seta que o café da manhã é servido, tanto do lado de dentro quanto no delicioso jardim interno – buffet com opção de ovos à la carte. Para completar, um incrível spa de 900 metros quadrados para relaxar das andanças pela cidade.

Four Seasons Milan

E, para terminar, passei meus últimos quatro dias na cidade no Four Seasons Milan, um hotel queridíssimo no qual eu já tinha me hospedado anteriormente. Localizado na linda via Gèsu, a meia quadra da Montenapoleone, reflete tão bem a alma milanesa que chega a impressionar, mesclando toda a história do convento do século XV que ocupa (algumas suítes, como a minha, com direito a afrescos em algumas paredes e no teto) com a contemporaneidade vibrante da cidade, traduzida com perfeição em locais como o incrível spa criado por Patricia Urquiola.

Four Seasons MilanFour Seasons MilanFour Seasons Milan

Four Seasons Milan

Absolutamente silencioso (a via Gèsu é tranquilíssima dia e noite), tem o agito de Milão a poucos passos da porta do hotel para os que quiserem, com as grandes grifes da moda ocupando lojas e fachadas inteirinhas nas duas ruas perpendiculares. A cozinha, a cargo do chef Vito Mollica, com estrela Michelin, é impecável no café da manhã, no almoço, no jantar e também no concorrido brunch de domingo (que serve mais de noventa receitas diferentes entre coquetéis, entradas, pratos e sobremesas, com participação especialíssima do chef Daniele Bonzi).

Four Seasons MilanFour Seasons MilanFour Seasons Milan

E, com tanta moda ao redor e sendo um dos principais QGs da cidade durante as Fashion Weeks, criam sempre novidades ligadas ao setor, como o recentemente criado Fashion Breakfast, que combina café da manhã servido simultaneamente a cuidados de beleza expressos, como manicure que seca em sete minutos, máscaras faciais by Sarah Chapman ou uma massagem nos pés. E as amenities dos quartos são os incríveis produtos da Acqua di Parma.

Dos três hotéis citados aqui, algo em comum: são não apenas os três principais hotéis de luxo da cidade mas também propriedades lindas e extremamente frequentadas por milaneses e não apenas por turistas. Então deixo aqui a dica para, mesmo para quem não se hospeda neles, dar uma passadinha em seus bares ou almoçar ou jantar em seus restaurantes pela ótima atmosfera (e ótimo serviço, é claro) que oferecem.

 

2 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 Pin It Share 1 2 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.