Hotel review: Mandarin Oriental Geneva, Genebra, Suíça

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

 Fui recebida no meu quarto do Mandarin Oriental Geneva com chocolates suíços; isso já contou alguns pontinhos de primeira impressão :))))  Além da fofura da amenidade de boas-vindas, diposta lindamente como um “varal de gostosuras”, o quarto estava novinho em folha, e delicadíssimo, já que o hotel deixou a ubber Sybille de Margerie (responsável pelo decor ultra feminino do lindo Mandarin Oriental Paris ) a cargo da reformulação.

 Com a cama voltada para as paredes envidraçadas, a gente já acorda ali dando de cara para a linda vista de Genebra se descortinando lá fora. Espaçoso, ainda conta com saleta, mesa de trabalho e o banheiro dividido em dois ambientes distintos muito bem bolados. E com tons e estilo que mudam de um quarto para outro (o meu tinha toques magenta, bem feminino, uma graça).

A vista desbunde da janela

 Por fora, o hotel parece antigão mas está todo remodelado por dentro. O café da manhã é servido em estilo buffet (com uma profusão de queijos que deixaria alguns amigos meus maluquinhos) no gostoso Le Sud.

Mimo de cabeceira para ajudar a dormir com o jet lag

 Para quem quer só fazer uma socialzinha, o MO Bar, de ambiente bem setentinha, fica concorrido dia e noite – e lotadinho no final da tarde/começo da noite (o drink MO Spice, além de lindo, é uma delícia, com toques de gengibre).

 Mas foi no Rasoi by Vineet que tive uma das mais interessantes experiências gastronômicas dos últimos tempos: um jantar degustação fielmente indiano mas capaz de agradar até mesmo os paladares mais receosos a aventuras (e ali comi o melhor naam da minha vida!).

O jantar-orgia DIVINO do Rasoi by Vineet

 O concierge foi craque em me indicar outros lugares para curtir um pouquinho da noite da cidade (além de me dar um itinerário perfeitinho para fazer as feiras e mercados no domingo de manhã, merci beaucoup).

A localização achei excelente: são apenas cinco minutos de caminhada até as duas principais ruas do comércio da cidade e dez minutinhos até a estação de trens, de um lado, ou o coração da cidade antiga, de outro – e o lago fica logo ao lado (ops, deu travalíngua! :P). Só faz falta mesmo ali um spa, que é sempre uma big atração num Mandarin Oriental; mas dizem que ele deve vir no próximo ano.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.