Hotel review: The Aubrey, Santiago

5 Flares Twitter 2 Facebook 3 Google+ 0 Pin It Share 0 5 Flares ×

 Antes de voltar da viagem da Antártida para o Brasil, recebi um convite super legal: fazer uma pausinha e me hospedar no hypadinho The Aubrey, em Santiago do Chile. Eu já conhecia esse hotel boutique por ter ido visita-lo antes de escrever sobre ele (que figurou nas últimas hot lists gringas) em alguns frilas. Mas ficar hospedada ali, enfim, e usufruir de todos os mimos do hotel teve mesmo outro gostinho.

 O The Aubrey é um hotel boutique todo charmoso na descolada Bellavista, bem pertinho da muvuca boa de restaurantes e barzinhos do bairro (e também da La Chascona), aos pés do Cerro San Cristóbal.  Ocupa uma mansão art deco do bairro (hoje totalmente restaurada, é claro) com apenas 15 suítes, cada uma com design e decor exclusivos. A decoração, aliás, é cheia de detalhes, incluindo peças de família e objetos super viajados, de diferentes partes do mundo, além de móveis exclusivos e uma impressionante quantidade de obras de arte.

A escadaria colonial convive em harmonia com… 
… os móveis descoladinhos contemporâneos… 
… e as muitas obras de arte espalhadas pela propriedade 

 Os dois casarões que compõem o hotel são ligados por charmosos pátios em estilo espanhol com muito verde e quedas d´agua que combinam muito com o mobiliário relax. E ainda tem uma espécie de mezzanino com piscina-jacuzzi ao ar livre, aquecida. Os quartos têm cada um sua decoração – os do pavilhão novo têm detalhes modernex, como a jacuzzi externa que havia no meu (só não era mais gostosa porque o vento de Santiago carregava folhinhas mil para a banheira durante o banho). Não curti muito a pia dentro do quarto, mas adorei o box estiloso e gigante – e tem o melhor “do not disturb card” EVAH! 🙂

Um dos deliciosos pátios
Cantinho asiático
Piscina com jacuzzi integrada

 Para todos, wifi gátis e café da manhã caprichado (servido no acolhedor restaurante ou no quarto). Além, é claro, do excelente bar (aposte sem medo nos coquetéis da casa – o bartender Juan é um espetáculo) e do adorável The Dining Room, o restaurante da casa aberto também para não hóspedes que ocupa espaço frequentado outrora por Neruda e outros intelectuais (aproveitei para jantar ali numa das noites e amei o menu fusion deles, com destaque pra “degustación del mar” e wagyu ao carmenère).

O box descolado e gigantão
Wagyu al carmenère, o prato mais pedido no The Dining Room 
O cartão “do not disturb” super bem humorado
Belíssimo hotel! E sabe que mais os brasileiros adoram ali? que boa parte do staff fala português 😉
5 Flares Twitter 2 Facebook 3 Google+ 0 Pin It Share 0 5 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.