Hotel review: The Singular, Puerto Natales

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×
Todos os quartos têm esse paredão de vidro com a mesma vista

 Quando eu estive na Patagônia chilena pela primeira vez, há cinco anos, eu visitei o Frigorífico Bories. O frigorífico teve importância fundamental no desenvolvimento de Puerto Natales e foi fator decisivo na consolidação da economia local. Mas, mesmo quando eu visitei, já estava todo abandonado, peças enferrujadas, sujo, uma judiação – a gente ia mesmo visitar pela importância histórica e porque acabava sempre rendendo umas fotos legais 😉

O contemporâneo e o vintage ali, lado a lado, o tempo todo

 E então eu li, no comecinho do ano passado, que uma família tinha comprado o local com o intuito de transformá-lo num hotel boutique. Achei a ideia simplesmente genial, mas não entendia muito como isso seria possível, com a lembrança do frigorífico decadente que eu ainda tinha em mente. Óbvio que voltando agora para Puerto Natales, com o hotel finalmente pronto e inaugurado, eu nem cogitaria deixar de conhecer o The Singular. O convite veio em ótima hora. E vou dizer pra vocês logo de cara: poucos nomes de hotéis me parecem tão supremamente adequados quanto esse.

O hotel é todo feito nos detalhes

 É impressionante o que eles conseguiram fazer ali: mantendo toda a estrutura original do patrimônio tomado, eles conseguiram introduzir elementos de design que se encaixam perfeitamente com a utilização inicial do prédio. Os quartos, é claro, ficam num novo anexo, construído especificamente para esse fim – mas totalmente integrado à paisagem, é claro. E recepção, restaurantes, áreas comuns estão todas ali, magistralmente instaladas no que era o frigorífico antes.

Os móveis do lobby/lounge dividem espaço com as vigas gigantes da estrutura original do edifício
O belo bar é decorado com material reaproveitado do frigorífico
A mesa grandona, para grupos ou big families separa o lounge do restaurante
Os corredores ultra modernos servem de passarela para os hóspedes em meio ao maquinário do frigorífico, totalmente preservado

 Eu lembrei o tempo todo do meu irmão Rafa, que é arquiteto, e dos meus amigos que lidam com design, como a Helô Righetto – a gente anda o tempo todo pelo hotel como se estivesse num museu. Aliás, tem tanto maquinário original do frigorífico ali que o hotel em si É realmente um grande museu – poderia falar sobre ele, em aspectos distintos, nuns 20 posts diferentes (bela pauta para uma revista de design, ahn? :D)

Por fora, segue sendo o velho frigorífico de sempre…
… e por dentro o maquinário ainda está todinho lá…
… mas dividindo espaço com a contemporaneidade da recepção, por exemplo

 Os quartos são super peculiares: mesclam itens ultra contemporâneos, como camas arrojadas e big LCDs com mobiliário típico da época áurea do Bories, como as divinas escrivaninhas. Os banheiros são grandes, com banheiras divinas, e a vista… ah, a vista! todos os quartos (à exceção de 3 suítes, são todos iguaizinhos) possuem vista divina, aberta para a península Última Esperança. Para dormir e acordar feliz da vida, né?

Não é fenomenal o design da cadeira-calefação???
Os dois barcos do hotel ficam em seu píer próprio
O café da manhã é servido no restaurante do mezanino
A piscina 2/3 interna, 1/3 externa, quentinha
e os detalhes, que estão em cada cantinho

 Dois restaurantes – um para o café da manhã e outro para as refeições -, bar, um belo spa e um farto menu de excursões completam o menu (o hotel tem, inclusive, dois barcos fenomenais para fazer as visitas aos glaciares). O The Singular também trabalha em sistema tudo incluído, com refeições, bebidas e passeios fazendo parte do programa de qualquer hóspede – e wifi grátis também, é claro.

A vista comum a todos os quartos

Até a boutique do hotel é cool 😉

Não dá pra disfarçar aqui no texto que eu fiquei encantada com o hotel. Passaria dias e dias lá, se pudesse – e planejo mesmo voltar exatamente para ali numa próxima visita à região (não canso nunca de lá!). Cozinha caprichadíssima, ótimos drinks (o melhor Calafate Sour ever!), equipe fenomenal de guias. Só não curti o serviço de recepção, muito seco, formal e antipático – que não combina nada com o povo fofo de Natales.

O melhor calafate sour ever
Do estacionamento à recepção, a gente desce essa escadinha só se quiser; olha o trilho do funicular logo ao lado <3
A parte antiga, no corredor que leva à recepção…
… e a parte nova, no corredor que leva aos quartos
Banheiros show de bola

HOTELAÇO. Assim, com todas as letras maiúsculas. Zero frescuras, máximo conforto, show de serviço no saldo final. E, para os amantes do design e da arquitetura, simplesmente singular 😉

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.