Índia: 3 hotéis memoráveis

29 Flares Twitter 5 Facebook 17 Google+ 5 Pin It Share 2 29 Flares ×

InstagramCapture_b239db6f-b8f0-458d-9a12-5108c64f7a89-001 Das mais de duas semanas viajando pela Índia, os três hotéis que merecem destaque na minha opinião

 

 

 

 

 

A viagem à Índia não foi das mais simples e fáceis, não; foi preciso muita pesquisa e organização para conseguir que tudo saísse exatamente do jeitinho que eu queria. E como já contei antes, a semana mais redondinha e perfeita foi justamente a que fiquei sob os cuidados da excelente Banyan Tours, que fez uma organização primorosa de itinerários, hotéis e um ou outro passeio guiado. Os caras levam super a sério o ditado popular indiano que afirma que o turista é sagrado; os três hotéis por eles selecionados para a semana em questão foram, sem dúvidas, os mais memoráveis da viagem.

Meu predileto foi, de longe, o sensacional The Lodhi em Delhi. O hotel era um verdadeiro oásis frente ao ritmo frenético e caótico da capital indiana, ainda mais debaixo do calorão que enfrentei.  O simpático casal de gerentes – Robyn Bickford and Manav Garewal – cuida de cada detalhe do hotel e torna a experiência para o hóspede ainda mais bacana, da acolhida super cálida e informal ao check out descomplicado (e os funcionários sempre se referem aos hóspedes pelo nome, uma graça).

The Lodhi Delhi

 

Os quartos standard são imensos, mega espaçosos, com quarto, living, área de trabalho, walk in closet, banheiro completo, uma varanda incrível e, toque de mestre, piscina privativa em todos eles, sem exceção. O wake up call inclui um funcionário na sua porta com café feito na hora, sem custos. A área de lazer, com direito a big piscina, é bacanuda e o spa tem uma estrutura que deveria ser adotada por muito hotel de luxo: não há vestiários comuns; há banheiros, chuveiros e trocadores já em cada sala de massagem, sensacional. E ainda tem dois ótimos restaurantes, um de comida indiana e outro de cozinha internacional, e fica pertinho dos malls e bons restaurantes de New Delhi. Melhor hotel da viagem.

Depois, em Jodhpur, veio o Raas. A propriedade é encantadora, instalada no antigo haveli de um thakur (nobre do Rajastão) e mesclada com novos edifícios construídos especificamente para abrigar os quartos do hotel.  Fica literalmente no coração da cidade antiga, a passos do famoso Clock Tower Market, o mais tradicional e divertido mercado de rua da cidade.

Raas JodhpurRaas Jodhpur

Os quartos são super espaçosos e cheios de luz natural, todos com vista para jardins, piscina e a lindíssima fortaleza Mehrangarh, no alto de um penhasco logo em frente. Tem spa, boutique e dois ótimos restaurantes – Baradari, contemporâneo nas três refeições, e Darikhana, de autêntica cozinha indiana no jantar – e ainda conta com um divertido tuk-tuk azul clarinho que o hotel mantém à disposição dos hóspedes.

Terminei a viagem pelo Rajastão no novíssimo Jawai Leopard Camp, localizado a três horas de carro de Jodhpur, numa área habitada por pelo menos trinta leopardos que circulam ali selvagem e livremente. Com pinta de glamping, faz a linha hotel de safári com tem nove tendas bem confortáveis, com direito a ar condicionado e banheiro que inclui chuveiro de alta pressão e pia dupla e decoração com muito preto, branco e metal nos móveis do designer Michael Aram.

Jawai Leopard Camp

As refeições estão todas incluídas, acompanhadas de refrigerantes, água mineral e algumas bebidas alcoólicas, como cerveja e vinhos da casa e as atividades diárias envolvem dois safáris para tentar ver os leopardos de pertinho, interação com os curiosos integrantes das tribos nômades Rabari e muito, muito birdwatching numa região rochosa, de visual completamente diferente dos destinos de safári africanos, por exemplo.

Jawai Leopard CampJawai Leopard Camp

Jawai Leopard Camp

Os safáris foram incríveis, e por mérito total da equipe de guias (liderada pelo Adam) e dos excelentes motoristas que literalmente atravessavam rochedos atrás dos leopardos. A tenda também é boa em termos de conforto. Mas acho que nele ainda falta um braço forte de gerência e mais rapidez e boa vontade no gerenciamento de crises – por exemplo, precisei reclamar três vezes que insetos e esquilos estavam entrando toda hora na minha tenda para fazerem alguma coisa (e ainda assim fizeram apenas um breve paliativo). E acho que a gastronomia também poderia ser mais caprichada; os pratos são de boa qualidade, mas o menu é composto de uma única opção para cada passo (entrada, principal e sobremesa).

29 Flares Twitter 5 Facebook 17 Google+ 5 Pin It Share 2 29 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.