Jerash: a Pompéia do Oriente

1 Flares Twitter 1 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 1 Flares ×

 Jerash foi uma das maiores e melhores surpresas da viagem. Eu já tinha lido sobre a cidade – que costuma ser apontada como a segunda maior atração da Jordânia, perdendo só pra Petra – mas eu não tinha ideia que suas ruínas fossem tão lindas e bem conservadas nem que sua área fosse tão extensa.

 Localizada a 40 minutinhos de Amã, é o bate-e-volta mais perfeito e essencial para quem visita a capital jordaniana. Passei uma manhã inteirinha caminhando por entre templos, ruas, igrejas e anfiteatros, num local realmente emocionante. Chovia fininho e estava frio, com as nuvens bem baixinhas, por isso as fotos ficaram assim meio nhé; mas nada disso tirou, pra mim, a beleza ao vivo e a cores.

 A ocupação humana em Jerash tem vestígios de mais de seis mil anos mas foi na época do Império Romano que Jerash (Jarash, para eles) viveu sua golden age – hoje segue sendo uma das mais bem preservadas cidades romanas do mundo, num exemplo precioso do engenhoso urbanismo romano.

Repare nas inscrições nas pedras

  Ruas pavimentadas (com o chão impiedosamente marcado pelas bigas e tudo), templos, praças, fontes, banhos públicos, muralhas, anfiteatros, arcos gigantes e as maravilhosas 1001 colunas de Jerash estão todos ali, e podemos caminhar livremente entre eles.

 O antigo hipódromo (acima) funciona no verão como palco para encenações de corridas de bigas, em espetáculos pagos à parte (o que eu acredito que deva ser bem discutível…). E os anfiteatros, sobretudo o maior e principal, abrigam o Jerash Festival, um dos mais importantes festivais culturais de toda Jordânia, em julho, com óperas, balé, concertos etc.

A área ainda conta com um museu bem legal (acima) que reproduz em uma maquete como deveria ser a área original da Jerash antiga e mantém uma exposição auto-explicativa curtinha mas bem interessante.

 De longe, uma das coisas que eu mais curti de toda a viagem. Absolutamente IMPERDÍVEL (assim mesmo, com letras garrafais!) na minha opinião. Mas vá com tempo: é muita coisa bacana pra ver por lá.

Divino, maravilhoso.

1 Flares Twitter 1 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 1 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.