Mandarin Oriental, Bangkok

4 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 4 Pin It Share 0 4 Flares ×

WP_20150226_18_15_58_Pro Porque o antigo The Oriental continua sendo o melhor hotel de Bangkok

 

 

 

Fiquei encantada com o Mandarin Oriental, Bangkok antes mesmo de conhecê-lo na minha primeira viagem à Tailândia, em 2007. Na época, ele ainda levava o antigo nome da propriedade – The Oriental, que é como o hotel até hoje é conhecido em Bangkok. Não me hospedei nele, mas fiz questão de visita-lo – e fiquei com ele na cabeça durante todos esses anos. Agora, na última visita ao país em fevereiro e março últimos, ele foi meu oásis na frenética Bangkok no comecinho e depois de uma viagem a trabalho por lá. E foi mesmo tudo aquilo que eu esperava.

Mandarin Oriental, Bangkok

IMandarin Oriental, Bangkok

Mandarin Oriental, Bangkok

Localizado em ambas margens do rio Chao Phraya (o hotel em si fica de um lado, mas o spa, um dos restaurantes e a cooking school ficam do outro), é uma mistura de hotel e resort sem abrir mão da elegância e da excelência no serviço. Para locomover seus hóspedes de um edifício a outro (e também a outros pontos da cidade, como o mercado Asiatique, o Central Pier etc), o hotel faz uso de bucólicos barcos inspirados nos antigos barcos tailandeses que circulam dia e noite, sem custos.

 

Mandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, Bangkok

Mandarin Oriental, Bangkok

Mandarin Oriental, Bangkok

Mandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, Bangkok

No belíssimo lobby, turistas em papetes, celebridades e políticos nacionais e estrangeiros se misturam frequentemente sem a menor cerimônia (vi essa cena se repetir mais de uma vez durante minha estadia). À noite, vira e mexe damas de honra com vestidos idênticos se somavam a eles, já que o hotel é um dos principais locais da cidade para casamentos. Combinando com esmero o elegante estilo tailandês com os confortos da modernidade, cada quarto e suíte tem um pouquinho de personalidade própria – e a maioria das quase 400 unidades tem maravilhosa vista para o rio e um adorável serviço de mordomo (daquele tipo super service oriented que leva chazinho gelado na sua chegada e deixa docinhos quando você volta do jantar).

Mandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, Bangkok

Mandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, Bangkok

Mandarin Oriental, Bangkok

Mandarin Oriental, Bangkok

O hotel tem nada menos que nove restaurantes e bares, o que faz dele também um destino gourmet para muitos turistas e moradores que não estão hospedados ali.  Provei o impecável menu thai (com direito a ótimo show folclórico) da Sala Rim Naam, repeti a maravilhosa cozinha chinesa do The China House (que eu já tinha provado láaaaa em 2007) e também o gostoso italiano Ciao. Mas ainda tem frutos do mar no Lord Jim´s, fine dining no francês Le Normandie, grelhados no The Riverside Terrace, cozinha internacional no The Verandah e chá da tarde no adorável The Author´s Lounge (um dos espaços mais bonitos e emblemáticos do hotel na minha opinião).

Pato de Pequim no China House

Pato de Pequim no China House

Menu puramente thai com direito a show folclórico na Sala Rim Naam

Menu puramente thai com direito a show folclórico na Sala Rim Naam

Mandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, Bangkok

Mandarin Oriental, Bangkok

O italianinho cool Ciao

O café da manhã é servido diariamente ao ar livre (mas com providencialíssimos guarda-sóis) à beira rio no The Riverside Terrace, em estilo buffet. O serviço de cafeteria é impecável e o buffet tem inúmeras estações distintas, entre comida asiática, ovos, frutas, sucos feitos na hora, queijos de distintas partes do mundo etc.

Mandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, Bangkok

Para a noite, além do sofisticado Cigar Lounge, eu adorei o Bamboo Bar. Há clássicos, é claro, mas a maioria dos drinks do menu foram criados pelos barmen da casa – e são deliciosos. Ambiente lindo, classudo, e com direito a uma sensacional banda (e cantora!) de jazz todas as noites, um programaço (bem diferente dos bares que normalmente se encontra em Bangkok).

Imperdível Bamboo Bar

Imperdível Bamboo Bar

Mandarin Oriental, Bangkok

Outro programão mesmo para não hóspedes é entrar de cabeça no spa deles. Além da beleza estética do local, bem thai inspired, são craques no que fazem: tive uma terapeuta sensacional, que se esmerou para amenizar as dores que uma massagem mal feita, em outro local, tinha me deixado. Tive vontade de que o tratamento não terminasse nunca (aliás, verdade seja dita: a equipe toda do hotel não mediu esforços em ir atrás de medicamentos e paliativos para que eu melhorasse no último dia – fiquei mal mesmo – e conseguisse ir para o aeroporto. Amor eterno)

Mandarin Oriental, Bangkok

Mandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, Bangkok

O lazer ainda conta com duas piscinas ao ar livre, uma belíssima academia, duas quadras de tênis, uma de squash e até uma pista de jogging.

Mandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, Bangkok

E, claro, não dá pra não falar da cooking school. Muitos turistas buscam aulas de culinária tailandesa ao viajarem para a Tailândia – eu mesma já tinha feito na minha primeira visita ao país. E a Cooking School deles é mesmo de primeiro nível, com direito a chef estrelado e baita equipe de assistentes que ensinam o preparo de uma refeição completinha, da entrada à sobremesa, e incluindo os acompanhamentos. Há espaço para assistir às demonstrações do chef e, ao lado, espaço para, em grupos de 3 ou 4, prepararmos os pratos. Ao final, os alunos são todos levados à Sala Rim Naam para provarem seus próprios pratos, servidos com o maior capricho.

Mandarin Oriental, Bangkok

Mandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, BangkokMandarin Oriental, Bangkok

Hotelaço! Um clássico imperdível, mesmo que não se fique hospedado nele.

4 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 4 Pin It Share 0 4 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.