Mercados de Natal

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Mercados de Natal na EuropaA lindeza (e as delícias) dos encantadores mercados natalinos alemães e austríacos

 

 

 

 

Salsichas quentinhas cheias de mostarda e vinho quente adocicado. A combinação pode parecer meio equivocada, mas faz um sucesso danado nos mercados de Natal da Alemanha e Áustria – e não é que é gostosa mesmo? Acabo de chegar de uma semaninha zanzando entre os dois países para conhecer alguns de seus mercados de Natal mais legais e volto feliz da vida.

Mercados de Natal na Europa

São diversas as cidades europeias com seus ultra tradicionais mercados de Natal com alguns séculos de existência; mas os austríacos e alemães têm mesmo a maior fama quando o assunto é esse. E os mercados são mesmo deliciosos, democráticos – ali todo mundo acha seu canto, indepentente da faixa etária, social ou companhia. De solo travelers e idosos a grupos imensos de amigos ou famílias com crianças pequenas, encontrei ali todo tipo de turista.

Mercados de Natal na Europa

A vibe em geral é a mesma das nossas festas juninas, com diversas barraquinhas e quiosques enfileirados (ou dispostos em semi-círculos) vendendo comida, bebida, presentinhos e diversão. Só que no lugar das barraquinhas de pesca e nega maluca entram os incontáveis quiosques vendendo enfeites de Natal de todo tipo, tamanho e material – e faz frio de verdade 🙂 Sem contar que tem sempre uma pista de patinação no gelo, nem que seja pequenininha, é claro.

Mercados de Natal na Europa

Não à toa, os mercados natalinos austríacos e alemães estão entre os mais famosos do velho continente. Já cativam pela própria decoração do espaço público, sempre repleta de luzes e alegorias encantadoras, muitas vezes animadas. O da prefeitura de Viena , bem em frente ao maravilhoso prédio da Rathaus iluminado, foi o mais bonito dos que vi; mas o mais divertido foi, sem dúvidas, o da pequena Esslingen, a 30 minutinhos de Stuttgart, na Alemanha, enorme e que conta com diversas áreas diferentes, inclusive um hilário mercado medieval, com muitos dos visitantes vestidos a caráter.

Mercados de Natal na Europa

Em alguns destinos, como a pequena Ludwigsburg, também nos arredores de Stuttgart, os mercados viram um grande evento social, que reúne a cidade praticamente inteira para esquentar as noites frias do quase inverno com bebidas quentinhas e animação (e providenciais aquecedores externos também, é claro), e também movimentam sobremaneira o turismo local nos finais de semana, recebendo turistas de todo canto.  Stuttgart mesmo, cujo enorme mercado de Natal é um dos maiores e mais antigos da Alemanha toda, recebe tanta gente durante a temporada que a hotelaria local andava quase completa durante a semana passada.

Mercados de Natal na Europa

Viena, bem maior, consegue ter nada menos que vinte locações diferentes de mercados de Natal espalhados pela cidade toda. Os mais famosos são os da Rathausplatz, do Belvedere e do Palácio de Schonbrunn.  Em todos eles, castanhas assadas, strudel, biscoitos em formatos natalinos e salsichas e linguiças dos mais distintos tipos (adorei a Kazekrainer, com queijo) fazem o maior sucesso entre canecas de vinho quente (gluhwein), ponche e cerveja.

Para quem tiver viagem marcada agora para o velho continente, vale saber que os mercados de Natal seguem firmes até dia 23 ou 24 de dezembro, dependendo do destino. Sempre com entrada franca. Programão.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.