NY: City Pass ou Explorer Pass?

2 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 Pin It Share 1 2 Flares ×

Como escolher entre o City Pass e o Explorer Pass qual passe utilizar em sua visita a Nova York

 

 

 

 

 

Eu já tinha recomendado aqui em outras oportunidades o New York City Pass para quem visita a cidade pela primeira vez. Já usei algumas vezes (mesmo em visitas subsequentes eu curto, porque sempre subo pra refazer fotos do alto dos mirantes e museus como o Met estão sempre na minha listinha na cidade) e sempre achei válido. Basicamente, acho que ter os tickets todos previamente em mãos e os guichês “corta-filas” em algumas das atrações  facilita a vida de quem quer cumprir.

Mas nesta última visita conheci também o New York Explorer Pass, que ainda não conhecia. Então aproveitei que uma amiga querida gentilmente tinha me presenteado com um City Pass uns meses antes (brigadíssima, Carla!!!) e resolvi utilizar os dois simultaneamente durante minha temporada na cidade para tentar entender que tipo de turista pode se beneficiar mais utilizando um ou outro.

 

Então vamos lá:

New York City Pass

O talão do City Pass – que pode ser comprado in loco ou entregue pelos correios – custa a partir de 1o. de março US$122 por adulto. A validade do mesmo é de 9 dias consecutivos a partir da data da primeira utilização e ele dá direito de admissão (em algumas delas com corta-fila) a seis atrações turísticas da cidade: o Empire State, o Museu de História Natural, o Metropolitan, o Top of the Rock OU o Guggenheim, a Estátua da Liberdade OU um cruzeiro Circle Line, o Museu do 11 de setembro OU o Museu do Mar, Ar e Espaço – à escolha do turista.

 

Explorer Pass

Em formato cartão magnético (mas pode também ser impresso ou descarregado no celular), o Explorer Pass é vendido com “cargas” diferentes para 3, 5, 7 ou 10 atrações, permitindo ao turista escolher entre quase 50 atrações e/ou tours disponíveis na cidade – com validade total de 30 dias consecutivos e um ou outro corta-fila.  As atrações incluem itens como o Empire State, o Top of the Rock, o MoMa e outros; os tours incluem desde o hop-on-hop-off bus a opções bem menos óbvias, como tours em bike pelo Brooklyn, por exemplo. O livreto que acompanha o cartão oferece descontos em alguns restaurantes/lanchonetes/lojas, sendo a maioria naquele esquema “ganha X a partir de W dólares gastos no local”. Os preços para adultos começam em U$$77 para 3 atrações e chegam até US$180 para 10 atrações.

Meus pitacos

Acho o City Pass um bom negócio e eficiente, e já usei e aprovei também em outros destinos americanos. Nele também há desconto em relação ao preço avulso de cada atração – mas é bom para quem não pretende fazer muitos lerês turísticos, porque você fica limitado a escolher um máximo de 6 num total de apenas 9 atrações disponíveis.

Considerando os valores finais e o montante de opções disponíveis, para quem tem flexibilidade de tempo na cidade e realmente pretende visitar diversas atrações turísticas ou entrar em tours, pessoalmente achei o Explorer Pass mais eficiente e interessante. Inclusive para quem visita a cidade pela segunda, terceira etc vez e está atrás de outros programas e atrações, como tour pelo Estádio dos Yankees ou aluguel de bikes no Central Park – sem contar que há um leque bem maior de museus incluídos no passe. Se você apostar na versão de 10 atrações, o custo individual de cada atração/tour será de 18 dólares, o que significa uma economia significativa no final das contas.

 

 

Só uma ressalva: o City Pass, como é velho conhecido da cidade, é consideravelmente mais fácil de utilizar. Encontrei diversos funcionários de diferentes atrações que não sabiam como utilizar o Explorer Pass para liberar minha entrada.
Clique aqui para:

Search Hotels

Destination
Check-in date
Check-out date
2 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 Pin It Share 1 2 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.