Para comemorar: até que enfim!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Finalmente poderemos pensar em comemorar: a Anac anunciou que pretende flexibilizar – depois de tantos apelos do Rodrigo Purisch! – os preços das passagens aéreas dos vôos dentro da América do Sul a partir de março próximo. Nada mais justo e esperado pelos viajantes, dada a distorção que existe atualmente entre valores praticados em passagens adquiridas dentro do Brasil e países com tarifas liberadas, como Argentina, Chile e Peru.
Há que se destacar que o percentual autorizado de descontos crescerá gradualmente, mas espera-se que a partir de 1º de setembro já não haja mais qualquer tipo de restrição ou controle. Um exemplo bastante citado é o valor de uma passagem comprada no Brasil com destino a Buenos Aires, que hoje custa cerca de US$400: esse valor deverá cair para US$ 187,50 a partir de 1º de março e para US$ 75,80 em 1º de junho.
A flexibilização das tarifas no Brasil deve incluir desconto de 30% para 50% nas passagens a partir de 1º de março e de até 80% em setembro. A medida vale para todos os vôos que partem do Brasil, sejam de companhias brasileiras ou internacionais. Faz bem pro bolso do viajante lembrar que a liberação tarifária dos vôos domésticos criou passagens de até R$ 0,50. O próximo passo da Anac deverá ser investir na liberdade tarifária dos vôos para a Europa.
Hoje, o tráfego entre o Brasil e a América do Sul é de 4 milhões de passageiros/ano, sendo 50% para a a Argentina.
Que venha a flexibilização!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.