Porque o Sabi Sabi vale a pena

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Lounge do Selati Lodge

Detalhes fofos da decoracao
Banheira linda!
Refeicoes supimpas, sempre com tres pratos elaboradissimos (incluindo carne de impala, avestruz e o que mais a gente quisesse provar)
Cabanas totalmente independentes, com bastante privacidade
Um drink no final do safari, vendo o por-do-sol
Jantar na Boma, sob as estrelas
Coffee making facilities com biscoitinhos caseiros
Quarto que parece cenario de Out of Africa, decorado com objetos de colecionador

O hotel ocupa 65 mil hectares de da reserva privada Sabi Sands, em pleno Kruger Park. Nao ha cercas delimitando o espaco, totalmente inserido na vida cotidiana do parque. Sao quatro lodges diferentes, com a filosofia “Ontem, Hoje e Amanhã” (meu lodge, o Selati, obviamente era o “ontem”).Meu chalé parece saído de “Out of África”, romanticamente; aquela África dos grandes safáris e romances à luz de lanterna. Leva o nome da via ferroviária por onde se transportava ouro, atravessando a reserva Sabi Sand, em idos de 1870 – daí tantos detalhes ferroviários na decoração, como placas dos motores a vapor e outras peças de colecionador. As lanternas que iluminam o caminho até os quartos preservam o ambiente rústico da selva debaixo do espetacular céu estrelado da África do Sul.

Os safáris sao feitos a bordo de Land Rovers abertas; o “ranger” nos desperta logo cedo, antes do amanhecer, enquanto a cozinha prepara chá, café, sucos e muffins, para um café da manhã breve. E o primeiro safári do dia começa logo em seguida, com pássaros cantando vivamente e os primeiros raios de sol despontando nas savanas, enquanto buscamos rastros. Como a caça não é mais permitida por ali há mais de meio século, os animais se habituaram à presença de carros de safári e o contato com eles é mesmo MUITO próximo: leopardos rodeando o carro, leoes curtindo a paisagem, elefantes no meio do caminho…

O almoco, com menu de 3 pratos e tres opcoes para cada um deles, ‘e otima oportunidade para bater papo com os outros hospedes, de N nacionalidades diferentes. `As quatro, chazinho breve (ou iced coffee, que eles amam) e novo safari, ate a hora do jantar. O jantar, quando possivel, ‘e servido ao ar livre, sob as estrelas, numa grande mesa comunitaria, com a presenca dos rangers para o papo ficar mais divertido.

E, claro, todo mundo dorme cedinho para nao perder a hora no dia seguinte; afinal, 5h30 o ranger esta batendo `a nossa porta…

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.