Salas VIP nos aeroportos: como entrar/utilizar?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

 Resolvi retomar o tema das salas vip porque, nessa fase pré-ferias, sempre me chegam vários emails sobre o assunto, com as mesmas dúvidas em geral. É que, não importa se você, assim como eu, curte a atmosfera dos aeroportos, das chegadas e partidas da vida. Sejamos francos:  horas gastas em salas de espera, em frente ao portão de embarque, apesar do people watching, são vira e mexe horas perdidas, não? E quando a gente chega cedo no aeroporto, preocupado com o trânsito, e o tem que ficar esperando à toa porque o check in ainda não está aberto?

Por essas e outras que, há muitos anos, desde muito antes de eu começar a viajar profissionalmente, quando eu viajava somente umas duas ou três vezes ao ano, nas minhas férias, eu optei por ter um cartão de crédito que me desse acesso às salas vip dos aeroportos. E, sendo bem honesta, como eu costumo viajar em classe econômica (conhecida também entre os viajantes como fish class), nunca me arrependi: não é o cartão que mais uso, não é o que mais pontos me dá no programa de recompensas, mas cada vez que chego num aeroporto com a certeza de que poderei esperar pelo meu voo numa sala com ar condicionado, com refreshments, internet de boa qualidade e banheiros bem cuidados, acho que o investimento na anuidade definitivamente compensa. Eu, normalmente, aproveito o wifi das salas para colocar o trabalho em dia durante a espera; mas posso decidir bater papo com alguém pelo skype também. De qualquer maneira, faz o tempo passar rapidinho.

Várias dessas salas contam com banheiros completos para banho (mão na rodíssima em conexões mais longas), comidinhas (tem de tudo, de snacks a buffets), e revistas e jornais. Hoje em dia, também é cada vez mais comum uma sala vip ter uma salinha separada para quem quer tirar um cochilo e cantinhos para games. Tem até sala com serviços de vans para determinado ponto na cidade.

Então, pra todo esse pessoal que vira e mexe me escreve pedindo dicas sobre “como conseguir usar as salas vips dos aeroportos com uma passagem em classe econômica”, minha resposta mais comum é: escolha um cartão de crédito que te dê direito a elas!  O Diners Club e todos os que vêm com o selo do Priority Pass são os melhores, na minha opinião, porque possuem uma oferta gigante de salas vip em aeroportos espalhados em vários continentes  – mas existem também algumas salas para outros tipos de cartões.  Vale se informar antes como funciona a sala vip do destino em questão: algumas oferecem também acesso livre a um convidado do titular do cartão, outras permitem a entrada do convidado mediante pagamento de taxa e outras não permitem convidados.

Ainda assim, portando ou não um cartão desse tipo, existem outras maneiras de utilizar uma sala vip num aeroporto sem estar portando uma passagem em classe executiva ou primeira classe, como:

Ser membro anual de uma rede de salas: muitas salas vip, sejam por brand ou por companhia aérea, vendem “títulos” anuais para os interessados. Não são pechinchas, não; as anuidades giram em torno de 500 dólares. Mas podem ser úteis para quem viaja muito ao longo do ano. E salas vip de companhias aéreas também podem trocar a anuidade por milhas acumuladas no programa de fidelidade. Em tempo: o próprio Priority Pass também vende “títulos” específicos para os lounges de aeroportos, por cerca de 350 dólares o ano. E vale ficar de olho que algumas companhias, sobretudo as americanas, também promovem sales de seus títulos anuais.

Comprar um day pass: grande parte das salas de marca própria – e algumas de companhias específicas também – permitem um day use de suas salas, cobrando, em geral, entre 30 e 50 dólares pela utilização.  Isso pode ser útil quando a gente tem uma conexão muito grande entre dois voos – eu já peguei conexão de 10 horas que não me permitia sair do aeroporto para passear na cidade nesse meio tempo, por exemplo. A rede Premier, dos aeroportos mexicanos, é uma dessas salas que vende day pass: por cerca de 40 dólares, você tem acesso a um uso único, num mesmo dia, na sala mais próxima do seu portão de embarque, com acesso a todas as facilidades do lounge. O pagamento é feito no ato, direto na sala vip. E aqui também vale ficar de olho nas sales promovidas pelas próprias companhias aéreas: vira e mexe, entram na liquidação day passes para os lounges. Em tempo: se você estiver disposto a pagar um day use, cheque antes em sites como o Lounge Guide se vale mesmo a pena pagar pela sala que você planeja usar. O sempre ótimo Rodrigo Purisch, do Aquela Passagem, também anda fazendo excelentes reviews de várias salas.

Fazer um upgrade de classe na hora H: para muitos voos, você pode fazer um upgrade da sua passagem da econômica para a executiva na hora do check in, havendo disponibilidade de assentos. Em alguns casos, você tem que pagar em cash a diferença de valor entre os dois tickets; mas em outros você pode “pagar” essa diferença utilizando pontos acumulados no programa de fidelidade.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.