Santiago do Chile

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Para os que pediram via email dicas breves da capital chilena, aqui vão: Santiago não tem vida noturna como Buenos Aires, com shows, teatro, muitos bares e cafés. Mas tem restaurantes muito bons e famosos. A maioria deles fica no bairro de Providência, próximo da estação Baquedano de metrô, se vcs não quiserem ir de taxi (que também não é tão barato quanto na Argentina). Da estação vc tem que andar uns cinco minutinhos até o local, mas é super seguro, cheio de gente nas ruas até altas horas.
O restaurante mais famoso é o Como Água pra Chocolate, que todo mundo sabe onde fica (embora eu não lembre exatamente o nome da rua). Mas é caro. Outros ótimos restaurantes ficam todos por ali. Aproveite para comer peixes e frutos do mar; eles têm muitas espécies que nós não temos, porque pescam no Pacífico e não no Atlântico. Ainda assim, o peixe mais pedido e elogiado por lá é o côngrio.
Para beber, vcs têm que tomar Pisco e Pisco Sour. O primeiro, é a bebida pura, destilada, tipo uma cachaça. Muuuuuuuuuuuuito forte. O grau alcóolico do Pisco é de, no mínimo, 40%!!! O Pisco Sour, que é um drink delicioso com o Pisco, num estilo meio marguerita. Vc vai adorar e tem em toda parte. Nos supermercados de lá, vc encontra garrafas da bebida pura e do Pisco Sour já preparado, super baratinho (tipo dez reais). Ótimo para trazer para os amigos!!!!!!!!! : )

A cidade de Santiago é toda rodeada pelas cordilheiras, o que faz a paisagem ser deslumbrante. Dá pra ver de todo canto, é lindo. Tem dois morros no meio da cidade, o Cerro Santa Lucia e o Cerro San Cristobal. O Santa Lucia é bem no centrão e vc sobe de ônibus, carro ou a pé; é pequenininho, mas tem uma vista super bonita. O San Cristobal é um pouquinho mais longe, mas é mais alto, então tem uma vista muito mais bonita. E vc pode andar num teleférico fehcadinho, de cabine, entre três morros, apreciando um pedação da cordilheira. Vale a pena.

Vale também passar no Museu de Belas Artes, super elogiado e super perto do centro.

E n as feirinhas: uma embaixo do cerro Santa Lucia e a outra no bairro de Providência, perto daquele restaurante Como Água pra Chocolate.

A visita à vinícola de Concha y Toro é um passeio bastante interessante, com belíssimas paisagens rodeadas pela cordilheira e bons vinhos durante o passeio. Além da encenação sobre o Casillero del Diablo. Os grupos são fechados meio que na hora, vc entra no próximo que tiver, escolhendo inglês ou espanhol. O preço que as agências cobram é absurdo e dá pra ir tranquilo por conta, de ônibus. É só descer do metrô na estação centralzona e de lá pegar o ônibus 35. Tem épocas em que o 81 e o 82 também passam por lá. Tem sempre um pessoal nas plataformas para informar. E ele pára exatamente em frente da entrada da vinícola, e faz igualzinho na volta. Para entrar na vinícola, paga-se 7 dólares, com direito às degustações (quando as agências cobram no mínimo 35 dólares!).

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.