Santos em outro olhar

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×
A orla de Santos no Canal 3

Passei alguns verões em Santos na pré-adolescência, num apartamento da família naquela época. Sempre tive muito carinho pela cidade mas demorei uma eternidade para voltar a visita-la, isso já em 2010 .

O quarto charmosinho do Mercure Santos

 Voltei semana passada à cidade, convidada pelo hotel Mercure Santos que, vejam só, fica a exatas 3 quadras do prédio onde passei aquelas tais férias, em pleno Canal 3 (Boqueirão). Dessa vez, com mais tempo, e surpresa com a quantidade de turistas estrangeiros que encontrei na cidade, deu tempo de visitar o que a maioria dos viajantes procura quando vai a Santos:

A orla de Santos e a ciclovia, sempre cheia

– um footing nos jardins da orla, super bem cuidados (recordistas no Guinness, para quem não sabe. Aliás, bikers, as bicicletas para empréstimo/aluguel, projeto que começou no final de 2012, fazem o maior sucesso lá e o dia todo a gente vê as bikes passando pra lá e pra cá na orla. Para alugar as biciletas em Santos a dica é se cadastrar no site do projeto (obrigatório) antes da viagem, para ganhar tempo. A primeira meia-hora é grátis; só paga se passar desse tempo.

 – dobradinha Orquidário+Aquário, que estão entre as atrações mais visitadas não só da cidade como também do Estado.  Eis aí um passeio perfeito para quem viaja com crianças – estava lotado de pequenos nos dois lugares. O tíquete combinado para visitar os dois custa R$8 para adultos, R$4 para crianças. O Aquário me pareceu bem menos bem cuidado do que antes – os pinguins estavam com uma aparência de dar dó naquele calorão, com o nível da água bem baixinho; mas o Orquidário está uma graça, super bem cuidado, com muito contato com os animais para levar os pequenos ao delírio, muito verde e cantinhos sensoriais bem bolados – gostei muito.

 – a Pinacoteca de Santos continua programa bem legal; se, por um lado, os funcionários são pouco informados, as mostras temporárias estão cada vez mais legais, recomendo muito.

– fãs de futebol costumam curtir muito a visita ao Memorial de Conquistas do Santos, na Vila Belmiro. As visitas acontecem todos os dias até 17h; custam R$6 a visita simples e R$10 a guiada, que chega também ao gramado.

 – para ver a cidade do alto, a pedida é o bondinho de Monte Serrat, que tem vista panorâmica de Santos no alto do monte homônimo. O passeio é peculiar para quem nunca andou num funicular, ainda mais que a engenhoca principal ainda é original. Particularmente, acho um passeio muito caro (R$20), considerando que no alto só há um café; nenhum museu ou algo do gênero. Curto muito mais o passeio de bondinho pelo centro histórico, que circula a cada 45 minutos e tem duração semelhante.

– o centro ainda não teve a revitalização prometida (zona portuária, barzinhos da XV de novembro etc) mas está mesmo uma área muito convidativa para passeio, agradável, colorida, bem cuidada. Bem sinalizado, com placas nos prédios e locais históricos e um roteiro sugerido de walking tour legal. Ali acho que o imperdível mesmo é o Museu do Café, no antigo prédio da Bolsa do Café. A visita, que custa R$5 (R$2,50 a meia), valeria a pena só pelos quadros e pelo vitral incrível de Benedito Calixto; mas ainda tem o pequeno museu, o agradável café (com café moído na hora) e o prédio, que é mesmo lindo.   Bem pertinho, fica o Pantheón dos Andradas, uma visita rapidinha, interessante e grátis. E quem quiser ficar para comer ali ainda pode passar no Quinta da XV, do Portuga, que continua lotadinho na hora do almoço.

 – quem vai sem carro ou não quer tirar o carro da garagem, pode fazer bom uso das duas linhas de ônibus que param nos principais pontos turísticos da cidade: a Conheça Santos e a Roda SP, ambas por R$10.

 – embarquei também num dos passeios de escuna que saem do píerzinho depois do píer dos Pescadores. Os passeios custam R$20 por pessoa e saem, em geral, a cada 20 minutos na alta temporada. O mais recomendado é o do por-do-sol, que dura aproximadamente 1h30 – mas achei o roteiro muito limitado e pouco atraente (sem contar a trilha sonora de qualidade bastante duvidosa).

Foi visita com gostinho de infância.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.