Como é a Singapore Airlines

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

IMG_8036 Como foi voar (com milhas!) até o outro lado do mundo com a premiada companhia asiática

 

Suei muito a camisa – e gastei muuuuitos minutos ao telefone, em diferentes madrugadas, com a central de atendimento da TAM – para conseguir usar meus pontos no Fidelidade numa passagem para a Ásia antes da mudança no Fidelidade ocorrida em 1º. de junho passado. Depois de N tentativas e erros, consegui achar ida e volta em datas aceitáveis – não tanto tempo de Ásia quanto eu pretendia, mas suficientes 15 dias de férias nesse continente tão adorado e no qual há tanto tempo eu não pisava.

Desde o princípio, a ideia era conseguir preferencialmente um assento num dos voos da Singapore Airlines, uma das mais premiadas companhias aéreas do mundo e na qual eu nunca tinha voado antes. E, como a Singapore é membro da Star Alliance, deu certinho emitir a passagem com os pontos da TAM – só não me foi permitido fazer o stop over em Barcelona , nem na ida nem na volta (é cobrada uma quantidade maior em pontos para fazer o stop over, mas não havia mesmo disponibilidade de assentos, já que a Singapore não opera essa rota todos os dias).

As comissárias com jeito de boneca e um dos uniformes mais simpáticos da aviação comercial

As comissárias com jeito de boneca e um dos uniformes mais simpáticos da aviação comercial

São mais de 25 horas no avião, no total – a parada em Barcelona para abastecimento é rápida, com duração de apenas 1h20 (e somos obrigados a sair do avião, dar uma volta em U no terminal, passar pelo raio-X e, então, entrar no avião novamente, para ocupar o mesmíssimo assento de antes).

É um voo tipo neverending para quem, como eu, não dorme – é preciso escolher a roupa o mais confortável possível (talvez a mais próxima de um pijama também :mrgreen: ). Mas o entretenimento é bastante bom, com muitas opções diferentes de cinema (não apenas produções hollywoodianas como também de diversos outros países; mas a maioria sem legendas em português), música, séries (temporadas inteirinhas!), joguinhos etc. E o serviço é mesmo bastante bom.

Os assentos confortáveis e bem bolados da classe executiva

Os assentos confortáveis e bem bolados da classe executiva

O trecho de ida, GRU-SIN, fiz na classe executiva e ela é mesmo tão boa quanto dizem: serviço muito cordial, assentos bastante confortáveis (ainda não eram os novos assentos da business que “entraram em vigor” agora), menu caprichadíssimo e ótima carta de vinhos também – além de coquetéis e toda a fartura em lanchinhos, chocolates e afins que eles deixam à disposição dos hóspedes ao longo do voo (até jogo de baralho é distribuído aos passageiros 😀 ). Só achei a nécessaire decepcionante: embora as meias de bordo, em estilo sapatilha, sejam mesmo ótimas, trata-se apenas de um saquinho de tecido com elas e uma máscara para os olhos. Há escova de dentes e afins à disposição no banheiro, mas faltou o charme de uma nécessaire bonitinha e mais completa.

Refeições caprichadas e servidas passo a passo na classe executiva da Singapore

Refeições caprichadas e servidas passo a passo na classe executiva da Singapore

 

A "necessaire" simpática mas frustrante

A “necessaire” simpática mas frustrante

O trecho de volta, SIN-GRU (do qual a-ca-bei de desembarcar), fiz na classe econômica e achei bastante satisfatória. Os assentos têm menos espaço entre eles do que eu esperava, mas dei sorte de conseguir um na primeira fila da econômica, a 31, com bastante espaço para esticar as pernas ( #ficaadica). As comissárias foram todas muito simpáticas o tempo todo e atendiam rapidinho quem chamava no assento. O menu (duas refeições até Barcelona, e outras duas até São Paulo) estava bem saboroso (mas vale o alerta que todas as opções do cardápio continham sempre carne) e a fartura de comida, tanto nas refeições quanto nos lanches que passam pelos corredores durante toda a noite, é mesmo impressionante. Outra coisa que achei legal é que os coquetéis oferecidos à classe executiva (do Singapore Sling aos clássicos Martini e Bloody Mary, entre outros) também estão à disposição da classe econômica. E o serviço de entretenimento era exatamente o mesmo que tive nos voos de ida à Ásia, na executiva.

O serviço continua simpático mas as poltronas ficam apertadinhas na econômica

O serviço continua simpático mas as poltronas ficam apertadinhas na econômica

 

Duas refeições bem servidas por trecho e mais uma infinidade de lanchinhos noturnos na econômica

Duas refeições bem servidas por trecho e mais uma infinidade de lanchinhos noturnos na econômica

No geral, serviço muito rápido e cortês também nos aeroportos. Valeu cada suado ponto trocado 😉

 

P.s.: Além dos trechos intercontinentais emitidos com os pontos TAM, comprei os trechos SIN-DPS-SIN para ir a Bali direto no site da Singapore por menos de US$300 usd, com antecedência de 4 meses. Nesses voos (são apenas 2h30 de duração em cada trecho) achei o serviço sensivelmente inferior, mas igualmente simpático.  A dica aqui é também, como os assentos são bem apertadinhos, fazer o mais cedo possível o check in online para pegar os assentos das saídas de emergência e viajar com mais conforto.

 

P.s.2: sorry pela qualidade ruim das imagens, tiradas com o celular.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.