Stopover em Abu Dhabi

30 Flares Twitter 5 Facebook 21 Google+ 4 Pin It Share 0 30 Flares ×

DSC_0083 O que fazer na capital dos Emirados Árabes durante uma conexão ou um stopover de alguns dias

 

 

Muita gente andou colocando Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes, no seu roteiro depois que a companhia aérea Etihad (ótima, por sinal) passou a ter voos diretos entre o destino e São Paulo. A maioria dos passageiros brasileiros que embarca com a Etihad não tem Abu Dhabi como seu destino final mas aproveita a conexão obrigatória no aeroporto do Emirado para fazer um stopover por lá.

Abu Dhabi

A paradinha básica dos brasileiros em Abu Dhabi costuma ser de duas ou três noites o que, na minha opinião, é suficiente para conhecer os atrativos turísticos do destino. Fiquei duas noites só em Abu Dhabi, fiz todo o básico das atrações turísticas e achei de bom tamanho.

A maior atração de Abu Dhabi é a Grande Mesquita Sheikh Zayed, que vale mesmo a visita. A riqueza de detalhes é impressionante, do mármore aos cristais, dos detalhes folhados a ouro ao maior tapete persa do mundo – acho que o ideal é se programar para passar pelo menos uma hora e meia lá, porque o local é grande e bem fotogênico (eu fui num dia com amigos e voltei de novo no dia seguinte, sozinha, porque não tinha visto tudo). Visitas guiadas gratuitas acontecem várias vezes ao dia (duram entre 45min e 1 hora) e é proibido entrar com camisetas cavadas, bermudas ou outras roupas curtas ou calças justas; mulheres têm que cobrir a cabeça com um lenço ou pashmina (eles emprestam na entrada se você não tiver um à mão, assim como emprestam abayas pretas para as que estiverem vestidas de maneira inapropriada). Vou falar só sobre ela em outro post.

Abu DhabiAbu Dhabi

Outras atrações são as praias privativas dos hotéis (ou as praias públicas da Corniche e de Sadyat), os bons restaurantes dos hotéis estrelados, alguns parques temáticos (dependendo do tipo do turista) e, é claro, os mega shopping centers. A ostentação e a opulência estão em toda parte, da decoração de hotéis e restaurantes às ATMs que dispensam barras de ouro ao invés de moeda local (tem uma logo no saguão de desembarque do terminal 3 no aeroporto mas a mais famosa fica dentro do Emirates Palace).

Música árabe de boa qualidade ao vivo tem aos montes (inclusive gratuitamente em lobby de hotéis e em restaurantes)

Música árabe de boa qualidade ao vivo tem aos montes (inclusive gratuitamente em lobby de hotéis e em restaurantes)

Confesso que esperava mais de Abu Dhabi. Pessoalmente, do pouco que vi, acho que Dubai está mais bem mais preparada para o turismo. Mas acho que Abu Dhabi e sua vizinha Dubai funcionam como uma boa introdução para quem não conhece nenhum outro destino árabe. Para quem conhece, podem parecer meio fakes, produzidos demais – mas é claro que o stopover vale. Dubai tem um interessante Gold Souk que, de pitoresco, vale a visita. Já em Abu Dhabi não vi bons souks, não; são excessivamente limpos, organizados, com muitas mercadorias made in China e os preços nas alturas (sentia saudades infinitas dos mercados da Jordânia, Egito, Marrocos etc e, pra vocês terem uma ideia, não comprei absolutamente NADA no destino).

Praia: o programa predileto dos europeus na cidade (vai entender...)

Praia: o programa predileto dos europeus na cidade (vai entender…)

Gostei muito do passeio à ilhota Saadiyat, que já é chamada por ali de “ilha dos museus”. Além do ótimo (e lindo) museu Manarat Al Saadiyat, reunirá também Louvre, Guggenheim, um museu nacional e um  centro de arte nos próximos anos – e tem também uma bela praia pública.

Praias públicas e privadas com essa água de vibe meio caribenha

Praias públicas e privadas com essa água de vibe meio caribenha

Achei roubada o passeio à Heritage Villa e também não vi grandes atrativos na Corniche como propagandearam algumas revistas e guias – os negócios de praia estavam fechados e, com o calor que fazia, não tinha uma alma sequer passeando por lá durante o dia. Não fiz, mas os passeios para jantar no deserto também são bastante oferecidos por lá.

A Corniche, ao fundo, vista da prainha de Heritage Villa

A Corniche, ao fundo, vista da prainha de Heritage Villa

Os táxis não são caros e, com o calor absurdo que faz em algumas épocas na  região, fica impossível não usa-los mesmo para distâncias curtas: são abundantes, sempre carros novos, confortáveis, com taxímetro digital. Vale saber que a bandeirada é de 25 AED (cerca de 7 USD) nos trajetos desde o aeroporto, contra os 3,50 AED nos trajetos dentro da cidade.

Quer uma refeição árabe inesquecível? Aposte sem medo no excelente Mijana, dentro do hotel Ritz Carlton. Visual lindo do hotel, serviço excelente e a melhor comida árabe (libanesa, para ser mais específica) que eu comi desde a viagem à Jordânia.  Abre para a almoço e jantar, tem música árabe ao vivo e até mixologia com leite de camelo no cardápio.

Clima veneziano nos barquinhos que transportam hóspedes dentro do Shangri-la Abu Dhabi

Clima veneziano nos barquinhos que transportam hóspedes dentro do Shangri-la Abu Dhabi

Eu fiquei hospedada no excelente Shangri-la Qaryat al Beri, do outro lado do rio mas também com os quartos com vista para a Mesquita. Tem praia privativa deliciosa, de água tão limpinha que é cheia de peixes, bom serviço de piscina, diversos restaurantes e até um Souk dentro das dependências do hotel. Tem transfer gratuito para a Mesquita, Corniche, Ferrari World e outras atrações de Abu Dhabi e barcos que também cruzam o rio gratuitamente para os hóspedes. Fiquei num quarto dos andares Horizon Club e recomendo muito: dão direito ao uso do lounge Horizon com café da manhã, chá da tarde e happy hour com petiscos e bar aberto incluídos na diária (a internet é gratuita para todos os hóspedes, sem distinção).

A Grande Mesquita iluminada à noite...

A Grande Mesquita iluminada à noite (flagra às pressas do táxi, sorry) …

... e sob o por-do-sol alaranjado de todos os dias

… e sob o por-do-sol alaranjado de todos os dias

Quem quiser incluir Dubai também na mesma escala pode incluir duas noites a mais, assim como quem pretende explorar os parques de diversões do destino, como o Ferrari World.

Quem só tem algumas horas de conexão na cidade, vale saber que o aeroporto é próximo das atrações (cerca de 10 minutos até a Mesquita, por exemplo) e dá para aproveitar bem mesmo as poucas horas entre voos conhecendo a Mesquita, com direito a um giro pela Corniche (mas vale lembrar que os brasileiros precisam de visto para entrar no país).

 

 

Para ler sobre mulheres viajando sozinhas para Abu Dhabi, clique aqui.

30 Flares Twitter 5 Facebook 21 Google+ 4 Pin It Share 0 30 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.