Turismo HiLo: como encontrar barbadas de viagem em transporte local

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Essa série de barbadas no turismo HiLo começou nesse post aqui. Para ler todos os posts da série, clique AQUI)

Antes de viajar, a gente costuma passar muito tempo pesquisando preços de transporte para chegar o local em questão e muita gente acaba esquecendo de pesquisar como encontrar boas opções – na linha pouco perrengue, preço baixo –  em transportes local na viagem.
Para começar, volto a falar do transfer aeroporto-hotel-aeroporto. Já listei aqui no blog e no Saia pelo Mundo opções baratas e com pouco perrengue para quem quer economizar nesse trajeto. E recomendo que se faça opções que não sejam door-to-door só na ida; afinal, na volta, todo mundo costuma estar mais cansado e com a mala mais pesada. 
Utilizar o transporte público localmente é uma mão na roda. Na verdade, acho bacana não só por custar menos mas, sobretudo, por dar uma noção muito melhor de como vivem/se comportam as pessoas que vivem ali. Nem sempre o transporte público cobre toda a cidade e em várias cidades à noite não é recomendado fazer uso deles; mas uma boa viagem HiLo, na minha opinião, consegue equilibrar bem os usos de transporte público e privado. Em Buenos Aires, por exemplo, a maioria dos brasileiros só anda de táxi porque é “muito barato” (e já nem é mais tanto, com a bandeirada a 9,10 pesos) e perde de ver a verdadeira vida porteña no metrô que custa apenas 3 pesos; de dia, recomendo muito.
E também fica muito mais barato se você utilizar passes de transporte locais; em Londres, o excelente Oyster Card, é um deles, super prático e beeeeeem mais econômico que comprar bilhetes avulsos (e em Londres o metrô e os night buses te levam MESMO para todo canto). O Viva de Lisboa também – e nos passes diários ainda dá direito a usar elevadores, funiculares e elétricos junto. Bilhetes em múltiplos de 10 também podem sair mais barato em vários destinos, como Paris e Madri.
Para comprar passagens de trem, em geral, antecedência é importante. A maioria das empresas não permite que se compre os tickets com mais de 60 dias de antecedência mas, passado esse prazo, quem compra antes costuma conseguir descontos muito bons, que chegam a 50% do valor integral – como na Trenitália, para quem viaja à Itália. E comprar direto nos sites das companhias costuma ser mais barato e desburocratizado.
Aliás, mesmo em se tratando de Europa, com toda essa cultura de “fazer a Europa em trem” que se instaurou no Brasil desde os anos 80, é um desperdício deixar de lado os ônibus. Há ótimas companhias de bus que fazem viagens no continente, muitas vezes com preços até menores. E ainda há ofertaças de empresas como Megabus, que têm assentos promocionais por 1 libra ou 1 euro vira e mexe – como também acontece com BoltBus e outras do gênero nos EUA.
Para quem aluga carro, também é possível pegar ótimos veículos pagando menos, se fazendo valer de bons sites para pesquisa de tarifas, como os grandes consolidadores de hotéis. Localmente também podem aparecer surpresas; para quem vai a NY, por exemplo, o AutoSlash.com pode ser uma mão na roda na hora das cotações.
Tem outras dicas legais para viajar muito bem mas fazendo boas economias aqui e ali? Põe na roda, plisssss. 
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.