Vancouver

2 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 Pin It Share 1 2 Flares ×

Um apanhado das coisas mais legais que fiz na última visita à linda Vancouver

 

 

 

 

Vancouver é um desbunde de cidade. Não à toa, entra para a lista de “cidades mais lindas do mundo” para boa parte dos turistas que a visitam. Eu, que já cheguei a Vancouver de carro, de navio e de avião, além de acha-la naturalmente linda (do porto ao Stanley Park, dos glaciares nos arredores ao arranha-céus de Downtown), acho também vibrante e sedutora, com cada vez mais (e melhor) oferta cultural, gastronomica e de entretenimento – e democrática, com gente educada e divertida em toda parte.

Minha última visita à cidade, no ano passado, foi mais curtinha do que eu gostaria; ainda assim, aproveitei ao máximo a visita de poucos dias para voltar a lugares que adoro e também fui atrás de novidades, entre restaurantes e passeios.

O mercado de Granville Island

Desta vez, me hospedei num hotel boutique que não conhecia: o St Regis Hotel – que, neste caso, não tem nada a ver com a rede de hotéis de luxo que é parte da Starwood Hotels. Este St Regis é pequeno e independente, mas com uma localização excelente em Downtown – do tipo que dá para ir caminhando a diferentes cantos da cidade – e com quartos bem confortáveis. O pessoal da recepção também era extremamente gentil – só não curti o café da manhã, à la carte, mas sem muitas opções e com serviço bem fraco.

Dali, aproveitei para caminhar muito pelo Waterfront e pela cidade, buscando grafites célebres, revisitando museus ((como a Art Gallery, que eu adoro!) e até uns food trucks queridinhos – Vancouver é extremamente fértil neste quesito (lembram que foi lá que surgiu o famigerado Japadog?). Também fui caminhando até Gastown, um dos meus bairros preferidos na cidade; adoro as lojas, os cafés e a vibe noturna dos bares e restaurantes. Acho um programaço ir à Gastown mais para o final da tarde para tomar um café, ver lojas (tem umas de design que são incríveis) e já esticar para um bar ou restaurante para o jantar. Foi lá em Gastown que desta vez tive uma das melhores refeições ever no Canadá no incrível  Bauhaus, restaurante de alta gastronomia com inspiração alemã . Adorei a comida (há opção tanto à la carte como menu degustação fechado), o serviço, a vibe sem frescura, o ambiente, a trilha sonora.

Outro belo programa é entrar num dos muitos walking tours oferecidos na cidade – e olha que tem variedade, faixa de preço e opção para todos os gostos, desde tours por atrações turísticas mais icônicas da cidade até alguns com foco gastronômico em locais como o delicioso mercado de Granville Island. Footing na linda False Creek, bike até o Stanley Park e subir para Vancouver todinha iluminada do alto da Vancouver Lookout também são ótimas pedidas.

A cidade vista da Vancouver Lookout

Desta vez, arranjei tempo para ir ao Fly Over Canada, um disputado simulador de voo que fica na região do Porto. A simulação é muito bem feita e é o tipo de programa que vai bem para qualquer tipo de turista. Mas, honestamente, meu conselho é: ponha alguns dólares canadenses a mais nessa conta e cacife um dos sobrevoos panorâmicos em hidroavião que partem o tempo todo do Coal Harbour. Eu tinha tentado fazer esse sobrevoo nas três últimas visitas à cidade e nunca dava certo por causa do tempo.

Desta vez, com o tempo um pouquinho mais firme, finalmente consegui – e recomendo muito, muito, muito.  Há opções desde 10 minutos de voo e são todas incríveis, sobrevoando a cidade e as montanhas dos arredores (fiz com a Harbour Air o Classic Panorama). Se chegar à cidade na janelinha de um voo comercial já é um show de lindezas, esses sobrevoos nos hidroaviões levam essa ideia de “lindeza” para um outro patamar. Para mim, um dos programas mais “must go” da cidade.

 

 

Clique aqui para:

Ler mais sobre Vancouver e outros destinos no Canadá 

2 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 Pin It Share 1 2 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.