A doce Escobar

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Quando eu estive em Buenos Aires pela última vez em julho, fui levada pela minha amiga argentina Sandra Kan a um paraíso ali pertinho: o Delta do Escobar. O local é um dos destinos prediletos dos portenhos para passar feriados e finais de semana mas ainda desconhecidos da maioria dos brasileiros. Natureza virgem, animais soltos, passeios de balão e uma paisagem belíssima são apenas alguns dos atrativos dessa cidadezinha a apenas 50km de Buenos Aires e às margens do rio Paraná de las Palmas.
Para chegar, é preciso pegar a Panamericana via rota 25, não por acaso conhecida como “la ruta de la flor”. Entrar em Escobar é como entrar em Holambra, no interior de São Paulo, e perder-se em meio a tantas orquídeas e outras flores lindíssimas. Escobar era apenas um porto de frutas e verduras às margens do rio Paraná e na época da colonização espanhola era alvo de corsários e piratas que se dedicavam a assaltar caravelas que cruzavam suas águas .
Hoje, investe em sua recente vocação turística com ótimos restaurantes e pousadas extremamente exclusivas, mas com preços interessantíssimos, a maioria às margens do rio. Como a reserva La Juana, que tem mais de 60 hectares dentro de uma área protegida pela UNESCO e oferece caminhadas e trekkings, cavalgadas, safáris fotográficos, passeios de caiaque e quatro cabanas exclusivíssimas para seus hóspedes, às margens do rio Caravelas.
A minha predileta foi a Hostería y Restaurante Isla Margarita, a apenas dez minutos de barco do Puerto de Escobar, com cabanas totalmente equipadas e entretenimento com trekking, observação de aves, navegação pelo rio e oferece excelente comida caseira (sua cozinha considerada uma das melhores da região). Sua proprietária, a doce Maria Thereza, preparada com amor e carinho todos os pratos que serve no local e deliciosas compotas caseiras. Quando estive lá para almoçar, nos serviu uma paella valenciana de fazer inveja a qualquer espanhol.
Mas eu me hospedei mesmo Solana de Escobar, que tem apenas 23 quartos espaçosos em estilo colonial num prédio totalmente conservado do século XIX em de 3 hectares repletos de bosques e atividades para lazer.
Para degustar as excelentes parillas argentinas, aposte sem medo na adorável Pequeña Holanda, onde seu proprietário, Guillermo Sigmund, recebe cada cliente com vinho e empanada enquanto a churrasqueira assa as primeiras carnes; e na Parrilla La Sabrosa, de propriedade de Pedro “Peter” Laukeninks, um verdadeiro contador de histórias.

A escapada a Escobar é um passeio praticamente imperdível para quem visita a capital argentina pela segunda, terceira ou enésima vez. Algumas agências de BsAs vendem pacotes de final de semana fechados para lá ou você pode simplesmente alugar um carro e fazer as reservas diretamente com hotéis e restaurantes.

E aí? Já marcou na agenda um pulinho a Escobar na próxima visita à Buenos Aires?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.