Canadá: o que vem por aí

6 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 5 Pin It Share 1 6 Flares ×

OttawaDe Ottawa a Winnipeg, o que vem por aí no blog desta jornada no verão canadense

 

 

 

Enquanto vocês leem este post, estou chegando de quase vinte ótimos dias de viagem pelo Canadá. E foi tudo novo desta vez: cada destino, hotel, lugar, passeio, tudo feito pela primeiríssima vez. Viajei em avião, trem, carro e barco por três províncias canadenses bem diferentes entre si – Ontario, Québec  e Manitoba.

Das minhas aventuras de solo travel em Ottawa e Montreal aos passeios mil na região de Québec e os dias do evento internacional de imprensa GoMedia 2014 em Winnipeg, tem muita coisa pra contar por aqui. Os relatos detalhadinhos de tudo que vi e fiz de mais legal desta começam agora, com essa espécie de “tira-gostos” para quem tem Canadá nos seus planos de viagem já ficar ligado no que vem por aí:

Quebec: ainda que eu tenha conhecido a cidade debaixo de (muita) chuva durante todos os meus dias por lá, achei tudo lindo. O charme e o sotaque francês da parte antiga de Québec são mesmo incontestáveis. Mas pouca gente sabe que St Roch, um bairro na parte nova, é hoje considerado o bairro mais trendy da cidade. Antes uma região considerada “perigosa” e “mal frequentada”, foi toda  revitalizada e vive hoje cheia de cafés descolados, galerias de arte, lojas e ateliês de jovens designers locais, bares e restaurantes.

Ottawa

Île d´Orleans: esta pequena e idílica ilhota fica quase anexa a Quebec City, ligada a ela por uma simpática ponte. A ilha é queridinha entre os fãs de agriturismo devido às muitas propriedades familiares envolvidas na produção de frutas, queijos, pães, geleias, vinhos etc que possui. Visitar os estabelecimentos desses produtores é uma delícia de escapada de um dia para quem estiver na cidade. Recomendo muito a paradinha na  adorável Cassis Monna & filles. uma empresa tocada por um casal e suas duas filhas adultas que fabrica licores, vinhos, digestivo e até sangria – tudo feito com cassis, uma delícia. E vou contar em detalhes a história de amor que resultou na fofíssima loja de geléias e afins Tigidou.

Charlevoix: essa cidadezinha adorável distante pouco mais de 1h de carro de Québec é outra escapada perfeita da cidade nesta mesma linha: produtores locais, negócios de família, propriedades cheias de história, mas também muito apelo cultural (inclusive um ótimo museu de arte contemporânea), viagens  panorâmicas de trem e belíssimos hotéis. Uma das melhores surpresas da viagem.

Ottawa

Montreal: uma cidade vibrante, excepcional. Uma pena que fiquei tão pouco e acabei fazendo tudo tão correndo; tenho que voltar. Bairros super distintos entre si, imenso apelo cultural, gente misturando inglês e francês na mesma frase o tempo todo. Só pra começar, duas exposições que eu adorei e recomendo muito são as impressionantes jóias de Fabergé para os czares russos  expostas no ótimo Museu de Belas Artes, e também a divertidíssima mostra  “Music-Quebec: from Charlebois to Arcarde Fire” no Museu McCord (com direito a fone de ouvido e trilha sonora personalizada incrível para acompanhar a história  da música na província de Québec). Se você curte uns bairros mais diferentes, com vibe meio hipster ao estilo de, por exemplo, Williamsburg ou LIC em Nova York , certamente vai adorar Mile End. Esse bairro de Montreal começou a atrair artistas e jovens casais com preços mais camaradas para moradia e hoje reúne cafés, bares, restaurantes, galerias de arte e lojinhas super diferentes ao norte de Downtown – e ainda não foi invadido pelos turistas.

Montreal

Ottawa:  foi uma das grandes surpresas da minha viagem..A capital canadense é uma cidade super acolhedora, de linda arquitetura e ainda um vibrante cenário foodie – além de ótimos museus, mercados e bares. E sabia que Ottawa também tem eclusas? As “Bytown Locks”, entre o Chateau Laurier e os (lindos!) prédios do Parlamento, se exibem em operação várias vezes ao dia e podem ser apreciadas tanto do topo dos edifícios que margeiam o rio  como nos mini cruzeirinhos que circulam o dia inteiro por ali: Durante os meses do verão, acontece todas as noites o Mosaika, um espetáculo de luzes projetadas na bela fachada do prédio principal do Parlamento. Durante o evento, que dura meia hora e é gratuito, os gramados em frente ao edifício são liberados e ficam lotados de gente do mundo inteiro. Imperdível.

Winnipeg

Winnipeg: a escala final da minha viagem, sede do evento GoMedia 2014, também me surpreendeu. Sisuda e meio fria à primeira vista, se revelou um destino cheio de atrações legais (do zoo aos ótimos museus), bairros cheios de bossa (como o excelente Exchange District) e uma arquitetura sensacional, que fiz questão de explorar entre um compromisso profissional e outro. A cidade ainda ganha agora em setembro o belo (e duro) Museu dos Direitos Humanos.

Aguenta aí que relatos detalhadinhos desta odisseia canadense já-já aparecerão aqui 😉

6 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 5 Pin It Share 1 6 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.