Carcassone e o Cassoulet

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×
A entrada para o Chateau

 Se a gente parar pra observar, Carcassone e Cassoulet guardam até uma certa similaridade nos nomes, né? O fato é que em Carcassone quase todo mundo fala o tempo todo sobre Cassoulet. Todos os restaurantes da cidade, seja na parte nova ou antiga, oferecem esse que é o prato típico mais emblemático da cidade e da própria região Languedoc. E um dos lugares mais emblemáticos para saboreá-lo é o restaurante de Jean Claude Rodriguez, um dos fundadores da confraria que corre parte do mundo anualmente para promover internacionalmente (!!!) o cassoulet (L´Academie Universelle du Cassoulet, que criou a rota gastronômica do cassoulet).

 Rodriguez comanda o belo Chateau St Martin, onde funciona seu restaurante que virou uma espécie de “símbolo da resistência do Cassoulet” :-)))) Ali explica-se que o cassoulet é um prato que data do século XIV, reminiscente da guerra dos cem anos. Para sanar as muitas dúvidas sobre onde exatamente o prato teria surgido, o chef Prosper Montagné teria dito em 1929: “God the father is the cassoulet of Castelnaudary, God the Son that of Carcassonne and the Holy Spirit that of Toulouse” 🙂

 Para almoçar ali (o cassoulet vale 21 euros por pessoa, mas há também opções de menu fixo e outros pratos à la carte) – sim, porque o cassoulet é um prato ainda mais pesado que a nossa feijoada, então fortemente não recomendado para o jantar! – é melhor fazer reserva.

A entradinha light, de ovo e aspargos, é só o pano de fundo para o…
… mis-en-scene de servir o cassoulet que vem na sequência 🙂

  Rodriguez é um apaixonado pela gastronomia (ele diz sempre “culinária é minha religião”) e é super metódico no preparo do prato; ali é servido o “cassoulet à l´ancienne”, com os feijões brancos originários de Mazères mesclados a presunto, carne de porco (incluindo o pé) e mais diversos embutidos. O toque local “carcassonense” fica por conta de pedaços de confit de pato.

O cassoulet é servido sempre em grandes caçarolas como essa
E aqui já servido no prato
Close no cassoulet
Até o simpaticíssimo Rodriguez (à frente, de branco) aparece no salão principal para dar um alô aos clientes após o almoço

Depois do almoço, aproveite a linda propriedade do castelo para descansar, caminhar um pouquinho e tomar um café antes de continuar viagem ou retornar para seu hotel para uma boa siesta; que depois de tanta comilança, o cassoulet ainda ficará na memória (inclusive do seu corpo) por um bom tempo :-))))))))))

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.