Gastronomia de viagem

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

São muitos os aspectos que fazem uma viagem perfeita; e, como um bom garfo, acho que a culinária também pode ser, por si só, uma grande viagem em alguns destinos. Da deliciosa comida de rua tailandesa aos mais estrelados restaurantes pelo Michelin, são muitas as experiências gastronômicas que podemos ter fora de casa – para o bem ou para o mal.

Por sorte, nunca tive uma congestão estomacal ou intoxicação numa viagem; só como numa barraquinha de rua ou num muquifinho mais esquisito se tiver recomendações expressas para isso. Agorinha mesmo, no Marrocos, ensaiei durante dias antes de me sentar numa das fumacentas e suspeitas barracas da praça Jeema El Fna; foram dias de observação até perceber que aquela barraca, tão sujinha e tãaaaao fumacenta, era sem dúvida a mais movimentada, com um público meio cativo entre moradores e turistas. E, ao final, saí estomacalmente ilesa da aventura, que incluiu molho de tomate suspeito, pão ultra manuseado e linguicinhas sabe-se la do que- e tudo muito bom.


Para uma refeição propriamente dita, adoro os menus do dia; em alguns lugares, incluem ate sobremesa e bebida ou café – afinal, comer num restaurante estrelado é mesmo uma extravagância só para de vez em quando para a maioria dos mortais. E, quando procuro um restaurante legal para almoçar ou jantar, tento ao máximo fugir dos chamados “pega-turista” – estabelecimentos de baixa qualidade que cobram preços altos dos turistas. Sendo assim, eu jamais entraria num adorável restaurante chamado Trattoria Ponte Vecchio (www.trattoriapontevecchio.com), bem no quarteirão entre a Galleria degli Uffizzi e a Ponte Vecchio (Lungarno Archibusieri 8R)– mais turístico, impossível, né? Ledo engano. Ainda que a contragosto, fui, por indicação da minha amiga italiana Trudy, e me surpreendi muitíssimo – positivamente, claro. A trattoria é super autêntica, italiana até o último fio de espaguete, num ambiente acolhedor, em que os amáveis donos do restaurante – Salvattore e Giovanni – servem as mesas com toda a simpatia. Ali eu comi a melhor bruschetta da minha vida e um tiramisú que deixou belíssimas recordações.
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.