Hotel review: Llao Llao

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Quem acompanhou minhas tuitadas e facebucadas (ui!) durante a viagem à Bariloche (que terminou oficialmente nessa madrugada) sabe que aproveitei a ida a Bariloche para esticar e ficar mais uns dias aproveitando o melhor da cidade. Afinal, o tempo estava fabuloso (frio mas com dias lindíssimos) e, honestamente, desde a primeira vez que estive na cidade, em 2004, me encantei perdidamente pelo Llao Llao Hotel Resort Golf & Spa.

Mergulhei fundo. Debruçado sobre o bucólico Puerto Pañuelos, o hotel fica entre os lagos Nahuel Huapi e Moreno, rodeado pelas mais belas montanhas da região, constituindo paisagens absolutamente arrebatadoras. A construção histórica – chamada de ala Bustillo – virou monumento nacional: a casa principal, tombada pelo governo, conserva a mesma estrutura básica de quase um século atrás, com áreas comuns finamente decoradas e quartos cheios das tradicionais estampas de flores tão tradicionais do hotel. Serviço atencioso e eficiente, várias opções de restaurantes (de snacks a alta gastronomia) e o famoso Té Llao Llao servido diariamente no Wintergarden (muito bom, mas em estilo buffet; particularmente, eu esperava um pouquinho mais de “cerimônia” na hora do chá).
Adorei também o spa, com uma fabulosa infinity pool aquecida, metade indoor, metade outdooor, uma delícia. Além das piscinas, sauna, duchas e um menu grande de massagens disponíveis. Aliás, muito gentilmente, a gerência me convidou para uma massagem relax espress, de 40 minutinhos – e adorei (com vista fabulosa e tudo). Mas adorei mesmo espiar a ala nova, a ala Moreno, em que todos os novíssimos quartos têm vista para o lago de mesmo nome através de janelas gigantes e varandas absolutamente encantadoras – e com uma decoração e conforto de instalações moderníssimos e irrepreensíveis. Lindas, lindas, lindas!

Importante: pedir um quarto com vista ao lago, é fundamental (na ala Butillo vários quartos têm vista para os jardins do hotel) e o suco de framboesa e a geléia de vinho malbec servidos no café da manhã são divinos.

HIGH – além do bom serviço e das belas áreas comuns, a internet wifi é grátis e de boa qualidade em absolutamente todo hotel, até nos jardins.  Durante a alta temporada de inverno (julho e agosto) há transfers gratuitos para hóspedes várias vezes ao dia do hotel ao refúgio Llao Llao em pleno Cerro Catedral. Na alta temporada de verão, variados transfers também gratuitos ao centro de Bariloche e uma infinidade de esportes outdoor incluídos no valor da diária.
LOW – o staff, apesar de muito gentil, é bastante inflexível (não me permitiram embarcar com a mala no transfer para o centro, por exemplo, mesmo que só houvesse eu e um outro casal na van) e um ranger de portas ou janelas (provavelmente pelo vento forte que havia) era bem insistente no meu quarto, dia e noite.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.