O peso da internet na hotelaria

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Deu hoje no Panrotas: “Hóspede não volta a hotel com internet ruim, diz Accor”. E achei ótimo que, enfim, tem peixe grande entrando nessa briga que nós, blogueiros e jornalistas de viagem, já entramos faz tempo.  A Accor Brasil (braço nacional da maior rede hoteleira do mundo) fez uma pesquisa ano passado e concluiu que a maioria dos hóspedes não retornam aos hotéis nos quais tiveram experiências com serviço ruim de internet. Na mesma pesquisa, concluíram que 70% dos viajantes querem acesso wi-fi grátis, preferencialmente no quarto. 
Foi justamente por causa desse estudo que a Accor (que segunda, por sinal, anunciou que adquiriu também as bandeiras Ceasar Park e Ceasar Business) investiu mais de mais de R$ 6 milhões na atualização tecnológica nas suas unidades: a partir de agora, toda a rede Ibis conta com acesso à internet de qualidade e gratuito. E várias outras bandeiras da rede também contam com o mesmo benefício (como encontrei recentemente em MGalleries, Mercures e AllSeasons/Ibis Styles, por exemplo), para alegria geral.
Vários hotéis de luxo, que ainda são em geral os últimos heróis da resistência nessa batalha, também estão felizmente pensando coerentemente e oferecendo free wifi para os hóspedes (como o Four Seasons at Park Lane, em Londres , que disponibiliza o acesso básico a todos os hóspedes; só cobra se o viajante quiser velocidades maiores).
Que free wifi é bom e a gente gosta, né? Aliás, deixando bem claro: achamos essencial.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.