Por dentro da Torre de Londres – com direito a Beefeater

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

 Entrei pela primeira vez na Torre de Londres acho que na minha segunda visita à cidade. Tinha adiado por dois motivos: a atração é cara (16 libras) e eu sabia que precisaria de no mínimo meio dia para visita-la. E adorei.
Então nessa viagem de agora eu entrei lá de novo.

 Adoro pensar em quantas coisas – algumas poéticas e outras muito, muito cruéis – já aconteceram naquele chão, naqueles edifícios.

 Tinha me esquecido como tem vários elementos lúdicos adoráveis nos museus ali dentro. Acabei me divertindo como se eu fosse uma das muitas crianças por lá (e não estava só: vários outros adultos também estavam adorando brincar de rei Arthur)

 Mas essa última visita teve um adendo especialíssimo: um mini-tour guiado por um Beefeater!

 Pra quem não sabe, os Beefeaters são os guardas da Torre de Londres. Originalmente, controlavam, óbvio, os prisioneiros; hoje guardam as jóias da Coroa. Seu nome verdadeiro é Yeoman Warders, mas ficaram popularmente conhecidos mesmo como Beefeaters (e hoje trabalham também como guias turísticos dentro da Torre). Teoricamente, teriam recebido esse nome como derivação da palvra francesa ‘buffetier’, que se refere aos guardas que protegiam e testavam a comida dos reis franceses. Mas à boca pequena corre que eles ganharam mesmo esse apelido porque, na época da guerra, quando todos os ingleses tinham direito a apenas uma única ração semanal de carne, eles poderiam comer quanta carne quisessem. Uia.

 Eles também são encarregados de proteger e cuidar dos corvos que “seguram a monarquia inglesa” (lembra dos tempos de colégio?). É impressionante como eles tratam os corvos como cachorrinhos, fazendo carinhos, chamando pelo nome, falando em tatibitate. Me arrependi MUITO de não ter filmado, hilário!

 Durante o mini-tour, o Beefeater conta aos turistas um pouco da rotina de cuidados com os corvos tratados à pão-de-ló, enquanto conta a própria história dessa conceituadíssima categoria de guardas reais.

 Esse é o Melvin. Manhoooooso….

Ao final do tour, depois de ouvir deliciosas histórias, ele leva o grupo para ver de perto os corvos que estão “em recuperação”: perninha quebrada, monitoramente cardíaco e outros luxos que a gente nem imagina que pudessem existir para esses animais assim tão… mórbidos, sei lá.
Passeio interessantíssimo, recomendo muito – me arrependi de não ter tido esse papo com um Beefeater antes.
Saí de lá com uma vontade de tomar uma gin tônica…

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.