Wifi free: por que a hotelaria ainda não entrou de verdade nessa até hoje?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Não sei se vocês repararam, mas semana passada vários blogueiros de viagem discutiram no twitter a questão da internet wifi gratuita na hotelaria brasileira e mundial.  As discussões, que acompanhei só depois, com leitura atrasada, acabaram rendendo posts sobre o assunto em vários blogs e eu resolvi aderir, publicando – de novo –  um post sobre o assunto (pra quem não lembra, blogueiros de vários segmentos encabeçaram em 2009 uma campanha pelo wifi free na hotelaria que eu sempre apoiei aqui no Pelo Mundo).
A pergunta que não quer calar é: afinal, por que diabos, em pleno 2012, a hotelaria ainda não entrou de verdade nessa?
Eu não estou advogando só em causa própria, não. Porque o wifi grátis não é uma necessidade somente de quem trabalha viajando, não; quase todo mundo hoje em dia se vale de Facebook, Skype, e-mails e outras ciberferramentas para não só manter contato com quem ficou em casa como para continuar planejando a viagem que se desenrola – mochileiros que o digam.
É verdade que, ainda bem, vários hotéis no mundo inteiro estão entrando nessa onda, principalmente na Europa; aqui no Brasil ainda é bem mais insípido. Mas, quando há, o wifi free vem anunciado em letras gigantes, como se fosse um baita benefício ao viajante – e a minha teoria é de que não se trata de um benefício, não. Trata-se de uma necessidade da contemporaneidade, assim como eletricidade, água quente e afins. E, cá entre nós, o que mais me choca é grande parte dos hotéis de luxo continuar cobrando – e bastante! – por esse serviço.
Pessoalmente, nem lembro qual foi a última vez que usei um orelhão ou o telefone do hotel para ligar para minha família durante viagens. Nem reservas de passeios e restaurantes eu costumo fazer assim há muito, muito tempo.É tão, mas TÃO mais simples e automático ligar o computador ou usar iPad ou a conexão do smartphone para esse fim que eu só me valho do bom e velho telefone quando realmente não há internet disponível no local (eu curto muito comprar chips locais de celulares quando viajo ao exterior, por garantia, e recomendo). E um hotel sem internet grátis, pra mim, é muito, mas muito mais terrível que um hotel sem café da manhã incluído, por exemplo.
Ainda que eu concorde que férias são pra relaxar, pra se desconectar do cotidiano etc etc etc, gosto, ao menos, de saber que a internet tá ali, disponível, pra quando eu precisar. Preferencialmente de graça.
A bem da verdade, isso nem é só questão da hotelaria, Meu mundo ideal teria free global wifi. Global mesmo. Everywhere 😉

E você? O que acha disso tudo?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

About the author

Mari Campos é jornalista formada e especializada em turismo e lifestyle de luxo, e colabora exclusiva e regularmente como freelancer há mais de treze anos com textos e fotos sobre o tema para portais, revistas e jornais no Brasil e em outros oito países. O conteúdo deste post foi elaborado e decidido pela autora tendo como único critério a relevância do assunto para os leitores do MariCampos.com. A menos que esteja escrito explicitamente "post patrocinado" em letras maiúsculas no início do texto do post, não há qualquer tipo de vínculo ou parceria comercial/editorial com as empresas, estabelecimentos e/ou serviços citados no texto nem qualquer tipo de remuneração pelo mesmo.